Valor recorde. Camisola que Maradona usou no golo da "mão de Deus" vendida por 8,8 milhões de euros
Diego Maradona

Valor recorde. Camisola que Maradona usou no golo da "mão de Deus" vendida por 8,8 milhões de euros

Tópicos chave

Minuto 51 dos quartos de final do Mundial de 1986. Joga-se o Argentina-Inglaterra. Maradona preparava-se para marcar, com a mão, o primeiro de dois golos que marcaram a história do futebol para sempre.

A mítica camisola azul da seleção argentina de futebol envergada por Maradona aquando da eliminação da Inglaterra (2-1) no Mundial México 1986 foi arrematada por um recorde de cerca de 8,8 milhões de euros, anunciou esta quarta-feira a leiloeira Sotheby's.

A quantia de 9,3 milhões de dólares suplanta largamente os 5,6 milhões de dólares (5,3 milhões de euros) angariados no leilão da camisola da estrela norte-americana de basebol da década de 1920 Babe Ruth, em 2019.

No final do encontro dos quartos de final do México 1986, após o golo apontado com a mão e o denominado "golo do século", em que Maradona fintou diversos adversários e o guarda-redes Peter Shilton, a camisola foi trocada por "el Pibe d'Oro" com o médio inglês Steve Hodge, que a manteve quase 35 anos, antes de ser emprestada para exposição a um museu de futebol britânico.

Sete licitantes viram a peça num leilão que começou a 20 de abril e terminou na manhã desta quarta-feira, adianta a Sotheby's. "Esta camisa histórica é uma lembrança tangível de um momento importante não só na história do desporto, mas na história do século XX", assinalou o coordenador da leiloeira para streetwear e colecionáveis modernos, Brahm Wachter, citado pela AFP.

"Esta é, sem dúvida, a camisola de futebol mais cobiçada alguma vez foi leiloada, por isso é apropriado que agora detenha o recorde de leilão de qualquer objeto deste género", disse ele.

O primeiro golo do lendário jogo entre Argentina e Inglaterra aconteceu pouco depois do intervalo, quando Hodge, no limite da grande área inglesa, intercetou um passe em direção à própria baliza. Maradona correu para a área, saltou com o guarda-redes inglês Peter Shilton e enviou a bola para a baliza. Mais tarde, assumiu que o golo tinha sido marcado "um pouco com a cabeça de Maradona, um pouco com a mão de Deus".

Quatro minutos depois, Maradona deixou cinco defesas ingleses para trás antes de passar por Shilton e marcar aquele que foi votado como "Golo do Século" num inquérito da FIFA em 2002.

Camisola às avessas?

No início do mês, Dalma, a filha de Maradona, lançava um véu de dúvidas sobre o leilão: afirmava que a camisola que ia ser vendida seria a que o pai tinha usado na primeira parte do jogo - que não teve golos - e não na segunda, quando assinou o bis.

"Este antigo jogador pensa que tem a camisola da segunda parte, mas é uma confusão. Ele tem a da primeira", disse.

Mesmo assim, a Sotheby's garantiu ter a camisola certa. Uma porta-voz reconheceu à AFP que "havia de facto uma camisola diferente, usada por Maradona na primeira metade do jogo, mas há claras diferenças entre essa e a que foi usada durante os golos. Assim, antes de colocarmos esta camisola à venda, fizemos extensas diligências e uma investigação científica para nos certificarmos de que era a camisola usada por Maradona na segunda parte e nos dois golos".

O processo de comparação da camisola com fotografias da época "examinou detalhes únicos de vários elementos do objeto, incluindo remendos, riscas, e a numeração".

A este processo junta-se que o próprio Maradona comprovava a proveniência da camisa no seu livro "Tocado por Deus", lembrando-se de a ter dado a Hodge no final do jogo.

Diego Armando Maradona, que somou 91 internacionalizações e 34 golos pela Argentina, morreu em 25 de novembro de 2020, aos 60 anos, após sofrer uma paragem cardíaca na sua vivenda em Tigre, na província de Buenos Aires.

A carreira de Maradona enquanto futebolista, de 1976 a 1997, ficou marcada pela conquista do Mundial 1986, ao serviço da Argentina, e por dois títulos italianos e uma Taça UEFA pelo Nápoles, emblema pelo qual alinhou de 1984 a 1991.

'El Pibe' representou ainda Argentinos Juniors (1976 a 1980), Boca Juniors (1981 e entre 1995 e 1997), FC Barcelona (1982 a 1984), Sevilha (1992/93) e Newell's Old Boys (1993/94).

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de