Paulinho e Arthur: mestres de obras no estúdio de Edwards. Sporting vence Tottenham

Foi nos descontos que a vitória dos leões foi criada. Depois da obra de arte inacabada de Edwards, no final da primeira parte, Paulinho e Arthur Gomes salvaram a pintura de um triunfo pincelado com uma exibição coesa do Sporting, que carimbou a primeira derrota no passaporte do Tottenham, esta temporada. Veja os golos.

A entrada na Liga dos Campeões do Sporting, frente ao Eintracht Frankfurt, foi com o pé direito. Em Alvalade, o registo vitorioso na competição manteve-se, esta terça-feira, frente ao Tottenham, o terceiro classificado da Premier League, com dois golos a surgir nos descontos, marcados por Paulinho e Arthur Gomes, dois jogadores que entraram na parte final do jogo.

Os ingleses apresentaram-se, logo desde o início do encontro, com uma abordagem marcada pela pressão alta em todo o campo. Nos primeiros minutos, a equipa leonina mostrou-se mais precipitada com a bola no pé, entregando a bola ao adversário com alguma facilidade.

Ainda assim, a primeira grande oportunidade no jogo saiu dos pés dos verdes e brancos. Numa boa jogada individual, onde sobressaiu a capacidade de sair em contra-ataque, evitando a defesa apertada dos Spurs, Pedro Gonçalves rematou rasteiro, mas a investida saiu ao lado da baliza de Lloris.

O primeiro momento de atrevimento do Sporting despertou a criatividade leonina e o feitiço inicial do Tottenham parecia virar-se contra o feiticeiro. Os londrinos permitiram a aproximação dos lisboetas com alguma displicência na posse de bola e os comandados por Rúben Amorim conseguiram colocar algum gelo nas investidas iniciais do adversário, conseguindo construir ataques de forma posicional.

António Adán foi chamado à ação para travar um cabeceamento de Richarlison, numa lição que deve ter sido muito estudada. O brasileiro, que reforçou os Spurs no último mercado de transferências, bisou frente ao Marselha e recorreu à cabeça em ambos os golos.

Após um período de controlo por parte da equipa de Alvalade, os londrinos voltaram a tomar conta da partida. O avançado Harry Kane era o isco para servir os colegas da melhor forma a criar ocasiões de perigo, mas a defesa do Sporting mostrou-se coesa na missão de evitar o golo.

O intervalo chegava com um nulo no marcador, mas os adeptos não abandonaram momentaneamente as bancadas sem se levantar para aplaudir uma jogada de Marcus Edwards. O inglês, formado no Tottenham, recebeu a bola ainda no meio campo e fez um slalom gigante, usando o relvado como a neve, e a bola como os esquis para evitar os adversários como se fossem portões, aproveitando a tabela de Francisco Trincão, mas a viagem rumo ao ouro não aconteceu devido a defesa de Lloris.

Os minutos iniciais do Sporting, na segunda parte, contrastavam com a exibição competente que ficou na retina quando os jogadores recolheram ao intervalo. Entre passes falhados e pouca capacidade de interromper as investidas ofensivas do adversário, ficou registado o pior período leonino no encontro.

A maior intranquilidade dos verdes e brancos foi aproveitada pelos Spurs, que cresceram no encontro e começaram a criar, com tranquilidade, mais oportunidades para tentar inaugurar o marcador. A primeira resposta leonina, na segunda metade, veio dos pés de Pedro Gonçalves, aos 68 minutos, que rematou fraco para defesa fácil do guarda-redes francês.

O recurso ao banco, por parte de Rúben Amorim, trouxe Sotiris Alexandropoulos em detrimento de Hidemasa Morita. O japonês após se mostrar uma peça importante nos primeiros 45 minutos, desceu de rendimento na passagem para a segunda parte. Mais tarde, Paulinho foi solução de recurso para tentar ter mais critério no ataque.

Ultrapassado o período de maiores nervos, o Sporting carregou no final do encontro. Na sequência de um canto, aos 90 minutos, foi o internacional português que se superiorizou perante os centrais londrinos e colocou o Sporting em vantagem no marcador, para provocar a ebulição do vulcão de Alvalade, que tinha o grito de um golo preso desde o lance de Marcus Edwards, no final da primeira parte.

Ainda ​​​​​​​o grito do primeiro golo ecoava nas paredes do estádio dos leões quando, na primeira vez que tocava na bola com a camisola verde e branca, Arthur Gomes tirou vários adversários do caminho, mas, ao contrário do médio inglês, conseguiu colocar a bola na baliza de Lloris. Em dois minutos, o jogo foi de um empate a zero até uma vitória dos comandados por Rúben Amorim por 2-0.

O Sporting, com o segundo triunfo em dois jogos, passa a somar seis pontos, mais três do que o Tottenham, que perdeu pela primeira vez em toda a temporada. No outro encontro do Grupo D, entre equipas que perderam na primeira ronda, o Marselha recebe esta terça-feira o Eintracht Frankfurt às 20h00.

Onze do Sporting: António Adán, Gonçalo Inácio, Sebastian Coates e Matheus Reis; Pedro Porro, Morita, Ugarte e Nuno Santos; Trincão, Edwards e Pedro Gonçalves

Onze do Tottenham: Hugo Lloris, Romero, Eric Dier e Ben Davies; Emerson Royal, Hojbjerg, Bentancur e Perisic; Heung-Min Son, Richarlison e Kane.

Suplentes do Sporting: Franco Israel, André Paulo, Sotiris Alexandropoulos, Rochinha, Fatawu, Paulinho, Arthur, Ricardo Esgaio, José Marsà e Flávio Nazinho

Suplentes do Tottenham: Ben Forster, Matt Doherty, Skipp, Sánchez, Bryan Gil, Ryan Sessegnon, Kulusevski, Tanganga, Lenglet, Bissouma e Harvey White

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de