João Paulo Correia considera "estranho" que Federação de Judo corte financiamento a atletas

O secretário de Estado lembra que o Governo acordou um "aumento histórico" para o projeto olímpico.

O secretário de Estado da Juventude e Desporto reconhece que é "estranho" que, poucos dias depois de o Governo ter acordado um reforço do financiamento do projeto olímpico, a Federação Portuguesa de Judo comunique a dois atletas que esgotou as verbas para a sua preparação.

João Paulo Correia confirma à TSF que recebeu uma denúncia que acusa a federação de ter retirado o financiamento a dois judocas. O Governo está atento, sendo que é o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) quem fiscaliza.

"O Governo, através do IPDJ contratualiza com o Comité Olímpico as verbas para a preparação e participação dos nossos atletas para se qualificarem para os Jogos Olímpicos", explica o secretário de Estado, recordando que o Governo "contratualizou com o Comité Olímpico e com o Comité Paralímpico um aumento histórico para essa preparação".

"Por isto, estranhamos que num momento em que há um aumento histórico no financiamento da preparação olímpica a Federação Portuguesa de Judo comunica a dois atletas que esgotou as verbas da sua preparação para este ano", prossegue o governante.

E admite: "No caso concreto, é uma decisão que pode ser política da federação, em vez de ser uma decisão técnica ou orçamental."

O secretário de estado da Juventude e Desporto refere que em agosto foi aberto um inquérito para investigar as denúncias de vários atletas sobre o presidente da Federação Portuguesa de Judo, Jorge Fernandes, numa carta aberta assinada por sete judocas, na qual relatavam um clima insustentável e tóxico.

O governo espera as conclusões desse inquérito nas próximas semanas: "Algumas destas acusações podem violar o estatuto da República e o regime jurídico das federações desportivas e a lei de bases do desporto e esse inquérito será encerrado, no máximo, daqui a quatro semanas."

João Paulo Correia lamenta a "falta de bom senso" em todo este caso e garante que o Governo "tudo tem feito" para que a "crise estivesse já sanada".

Já sobre a saída da selecionadora nacional de judo, o secretário de estado diz que não comenta decisões técnicas.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de