Presidente e direção da federação de judo destituídos por incompatibilidades

Decisão do IPDJ já foi comunicada à federação e cabe agora à assembleia geral destituir o Jorge Fernandes.

O presidente e a direção da Federação Portuguesa de Judo (FPJ) vão perder o mandato, na sequência de um inquérito a incompatibilidades feito pelo Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), confirmou esta terça-feira fonte daquele organismo.

Questionado pela Lusa, o IPDJ confirmou a perda de mandato de Jorge Fernandes, após o inquérito realizado à FPJ que aponta "as suas conclusões para o incumprimento por parte do presidente da direção federativa".

A mesma fonte destaca à Lusa o artigo 51.º do Regime Jurídico das Federações Desportivas (RJFD), no qual é elencada a perda de mandato de titulares de órgãos federativos, por inelegibilidade, incompatibilidade ou por terem intervenção em contrato no qual tenham interesse.

Segundo a mesma fonte do IPDJ, a federação "já foi notificada das conclusões do inquérito" e cabe à sua assembleia geral destituir o presidente da direção.

Em causa está, entre outros factos, o exercício de funções por Jorge Fernandes no Judo Clube de Coimbra, que foi alvo de uma queixa por parte da Associação de Judo de Castelo Branco.

Jorge Fernandes chegou à presidência da Federação Portuguesa de Judo em 2017, sendo reeleito para um segundo mandato em 2020.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de