Roger Schmidt visto pelo avançado que com ele apontou 102 golos

Ao longo de uma carreira regada de golos, Jonathan Soriano trabalhou às ordens de treinadores como Luis Enrique, Pep Guardiola, Ernesto Valverde, Adi Hutter, Mauricio Pochettino, Jorge Jesus ou Javier Clemente. Mas foi com Roger Schmidt que marcou mais golos, um treinador de quem recorda a relação próxima com os jogadores, e as conversas sobre futebol e sobre a vida.

Não há nada que um avançado possa agradecer mais a um treinador do que a proximidade que o técnico lhe dá à baliza adversária. O antigo ponta de lança catalão Jonathan Soriano deve a Roger Schmidt um contributo importante para uma carreira cheia de golos. Orientado pelo alemão, Soriano apontou 102 golos em 109 jogos, entre Red Bull Salzburg e Beijing Guoan, na liga chinesa. Estava sempre perto da baliza, até quando defendia.

"As equipas de Roger [Schmidt] são muito ofensivas. Ele pedia-me sobretudo para estar muito próximo da área adversária. Com ele, um avançado tem de estar perto da baliza", explica o antigo goleador. A expressão ofensiva do futebol do alemão não se concretiza apenas na presença massiva de jogadores no apoio ao ataque. Há na pressão exercida logo após a perda de bola em zonas adiantadas, uma arma importante.

A pressão exige trabalho e preparação. "O que procura é um futebol muito atrativo, com muita intensidade. Os treinos são um exemplo do que acontece ao fim de semana porque promove sessões de trabalho muito intensas, sempre pensadas para o que vai acontecer no jogo. E por isso os jogadores chegam aos encontros com muito ritmo", explica Soriano.

Mas é a relação pessoal de Schmidt com os jogadores que Jonathan Soriano destaca. "Para mim, à parte de ser um grande treinador ou de ter uma filosofia muito interessante, o melhor que tem Roger Schmidt é a relação com os jogadores. É um treinador muito próximo, que gosta de falar com os atletas, não só de futebol, mas sobre a vida. Tive a felicidade de coincidir com ele na altura do nascimento da minha filha. Recordo-me que me ligava com frequência, que se preocupava em ajudar-me com a minha vida privada."

"O Benfica é um grande clube, mas precisa de um treinador como Roger para lhe dar a motivação e intensidade de que precisa", considera Jonathan Soriano.

O antigo avançado acredita que Roger Schmidt está destinado a um patamar diferente na carreira. "Não tenho dúvidas, só estranho que não tenha alcançado já um nível superior, é um grande técnico", sustenta o antigo goleador.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de