Uma asa e três cascos para atravessar o Atlântico

Francisco Lufinha tem uma nova aventura à vista, depois do recorde de travessia em kitesurf.

O navegador que conhecemos pelas travessias de kitesurf, montado numa prancha e puxado por uma asa, quer atravessar sozinho o oceano Atlântico.

Para isso, Francisco Lufinha está a desenvolver um barco sem vela nem motor, mas ao qual vai ligar uma asa, semelhante às usadas em papagaios ou parapentes.

Kite boat é a embarcação escolhida para a aventura, que há de acontecer, lá para novembro, quando os ventos forem de feição.

Na Tarde TSF, Francisco Lufinha explicou que é nessa altura que é possível ir até à Madeira e às Canárias, com o vento morte, e depois aproveitar os ventos alísios que vêm do Saara e que empurram a asa até ao continente americano.

O navegador não sabe onde vai chegar, mas calcula que o destino sejam as Caraíbas. A viagem pode durar três semanas e não está afastado o recorde.

Para já, continuam os ensaios. A preocupação fundamental é perceber se os sistemas informáticos funcionam e permitem algum automatismo e algum descanso, durante a viagem.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de