Zelensky destaca candidatura ibérica e ucraniana ao Mundial como "mais do que um símbolo de fé"

Líder ucraniano agradeceu, no Twitter, o apoio demonstrado por António Costa e Pedro Sánchez.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, saudou esta quarta-feira o simbolismo de vitória, após ter sido conhecido que a Ucrânia vai integrar a candidatura conjunta de Portugal e Espanha à organização do Mundial2030 de futebol.

Esta candidatura "é mais do que um símbolo de fé na nossa vitória comum", escreveu Zelensky na sua conta oficial na rede social Twitter, acrescentando que "a Ucrânia vai resistir, prevalecer e ser reconstruída com a solidariedade dos seus parceiros".

As federações dos dois países ibéricos oficializaram hoje, em conferência de imprensa na sede da UEFA, que a Ucrânia vai acompanhar Portugal e Espanha numa candidatura conjunta à organização do Mundial2030 de futebol.

"A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) incorporaram a Ucrânia na candidatura para o Mundial2030. As duas federações comunicaram a sua intenção à UEFA, que imediatamente expressou o seu total apoio", adiantaram os organismos liderados por Fernando Gomes e Luis Rubiales, em comunicado.

Em pleno conflito militar com a Rússia, a Ucrânia vem redimensionar a única candidatura europeia para a organização da principal competição mundial de seleções em 2030, cujo protocolo de colaboração entre FPF e RFEF já tinha sido assinado em outubro de 2020.

A proposta foi apresentada em junho de 2021 e recebeu o apoio da UEFA, enfrentando a concorrência, pelo menos, de um projeto sul-americano (Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai), um africano (Marrocos) e um intercontinental (Arábia Saudita, Egito e Grécia).

O Qatar acolherá a 22.ª edição do campeonato do mundo este ano, de 20 de novembro a 18 de dezembro, seguindo-se uma inédita coorganização entre três países (Canadá, Estados Unidos e México), em 2026, e a celebração do centenário da prova, em 2030.

A escolha dos países organizadores do Mundial2030 está prevista para o 74.º congresso da FIFA, em 2024, após Portugal ter recebido o Euro2004 e a Espanha o Euro1964 e o Mundial1982, ao passo que a Ucrânia albergou o Euro2012, em conjunto com a Polónia.

A ofensiva militar lançada em 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia já causou a fuga de mais de 13 milhões de pessoas - mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,4 milhões para os países europeus -, de acordo com a ONU, que encara esta crise de refugiados como a pior em plena Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de