NASA revela que humanos poderão viver na Lua já "nesta década"

O responsável do programa aeroespacial Orion, da NASA, afirma que é possível ter humanos a viver na Lua "nesta década" assim que a segurança dos componentes da missão Artemis for comprovada.

Os humanos poderão viver na Lua durante longos períodos de tempo ainda esta década. Quem o diz é o responsável do programa aeroespacial Orion, da NASA, Howard Hu, quatro dias depois de ter sido lançado com sucesso o foguetão Space Launch System (SLS).

Em entrevista à BBC, Hu afirma que o lançamento da missão não tripulada à Lua Artemis I, na quarta-feira, foi "um dia histórico para o voo espacial humano". O funcionário da NASA contou ainda que ver a Artemis descolar foi "uma sensação inacreditável" e "um sonho".

"É o primeiro passo que estamos a dar para a exploração do espaço profundo a longo prazo, não apenas para os Estados Unidos, mas para o mundo", disse, sublinhando: "Este é um dia histórico para a NASA, mas também é um dia histórico para todas as pessoas que amam o voo espacial humano e a exploração do espaço profundo."

"Estamos a voltar para a Lua, estamos a trabalhar num programa sustentável e este é o veículo que levará as pessoas que nos levarão de volta à Lua novamente", explicou.

Hu referiu que, se o atual voo da Artemis I for bem-sucedido, o próximo já será com uma tripulação, seguido de um terceiro em que os astronautas vão pousar na Lua pela primeira vez desde a Apollo 17, em dezembro de 1972.

Segundo o responsável, até agora, a Artemis I está a correr bem, com todos os sistemas a funcionar e a equipa a preparar-se para acionar os motores da Orion esta segunda-feira, com o objetivo de colocar a nave espacial numa órbita distante da Lua.

Uma das fases mais críticas da missão Artemis I é trazer a cápsula Orion de volta à Terra em segurança. O módulo reentrar a atmosfera do planeta a 38 mil km/h, sendo que o seu escudo, localizado na parte inferior, estará sujeito a temperaturas próximas a 3000 ºC.

Assim que a segurança dos componentes da Artemis for testada e comprovada, Howard Hu diz que o plano é ter humanos a viver na Lua já "nesta década".

Segundo Hu, um dos principais objetivos de voltar à Lua é descobrir se há água no polo sul do satélite natural da Terra. Em caso afirmativo, poderá contribuir para fornecer combustível para naves que vão, por exemplo, para Marte.

"Vamos enviar pessoas para a superfície [da Lua], elas vão viver nessa superfície e fazer ciência", sublinhou.

"Será realmente muito importante para nós aprender um pouco além da órbita da Terra e dar um grande passo quando formos para Marte."

"As missões Artemis permitem-nos ter uma plataforma sustentável e um sistema de transporte que nos permite aprender a operar naquele ambiente espacial profundo", acrescentou.

A cápsula Orion está atualmente a cerca de 134 mil quilómetros da Lua e deve voltar à Terra a 11 de dezembro.

A missão da NASA, Artemis, marca o início do programa com que os Estados Unidos pretendem regressar à superfície da Lua em 2025, um ano depois do previsto, colocando a primeira astronauta mulher e o primeiro astronauta negro em solo lunar.

No topo do foguetão está a cápsula Orion que, para esta primeira missão, está equipada com um "manequim" que vai registar os impactos do voo no corpo humano.

O voo de quarta-feira ocorreu após duas tentativas de lançamento em agosto e setembro, que foram canceladas devido a problemas técnicos.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de