Tesla recolhe mais de 800 mil veículos devido a defeito em 'software'

O problema impede a ativação da mensagem sonora que avisa que o cinto de segurança não está apertado. O defeito afeta os modelos 3 2017-2022, S 2021-2022, X 2021-2022 e Y 2020-2022.

A Tesla vai ter de recolher 817.143 veículos nos Estados Unidos para reparar um defeito no 'software' que impede a ativação da mensagem sonora que avisa que o cinto de segurança não está apertado, foi anunciado na quinta-feira.

Em documentos divulgados pela Administração Nacional de Segurança no Tráfego Rodoviário (NHTSA) dos Estados Unidos, a empresa norte-americana disse que até 31 de janeiro não tinha registo de "acidentes, ferimentos ou mortes" causados pelo defeito.

Os documentos também revelam que foi um instituto sul-coreano que notificou a Tesla em 6 de janeiro da existência do defeito.

Após o aviso do Korea Automobile Testing and Research Institute (KATRI), os técnicos da Tesla verificaram o problema.

Este defeito afeta os modelos 3 2017-2022, S 2021-2022, X 2021-2022 e Y 2020-2022.

O problema está centrado no 'software' que controla a ativação do sinal sonoro de alerta e ocorre quando o motorista interrompe a mensagem sonora, por exemplo, ao sair do veículo enquanto está ativado. Nestas circunstâncias, o 'sofware' regista que já avisou o condutor, mas não repete o aviso sonoro.

A Tesla também indicou que o sinal sonoro é ativado quando a viatura ultrapassa os 22 quilómetros por hora e o cinto do motorista não é colocado.

A empresa de Elon Musk disse à NHTSA que, para corrigir o problema, vai atualizar de forma remota o 'software' em todos veículos afetados e vai notificar os proprietários por correio em 1 de abril.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de