Onze civis mortos, incluindo uma criança, em novos ataques à região de Kharkiv

Os bombardeamentos das tropas russas provocaram 11 mortos civis (incluindo um rapaz de 7 anos) e outros 14 civis ficaram feridos, revelou o responsável pela Administração Militar Regional.

Pelo menos 11 pessoas morreram, entre as quais uma criança de 7 anos, e 14 ficaram feridas na região de Kharkiv, no leste da Ucrânia, que foi bombardeada 66 vezes nas últimas 24 horas, segundo as autoridades militares ucranianas.

O responsável pela Administração Militar Regional, Oleh Syniehubov, declarou, na rede social Telegram, que os ataques incluíram bombardeamentos com artilharia russa, morteiros e vários sistemas de lançamento de foguetes.

"Durante o último dia, as tropas russas lançaram cerca de 66 ataques com artilharia, morteiros e múltiplos sistemas de lançamento de foguetes. Os distritos de Saltivka, Piatykhatky, Kholodna Hora, Pisochyn, Zolochiv, Balakliia e Derhachi sofreram danos", afirmou o responsável militar.

"Os socorristas tiveram de apagar incêndios em casas, armazéns e outras infraestruturas civis. Os bombardeamentos das tropas russas provocaram 11 mortos civis (incluindo um rapaz de 7 anos) e outros 14 civis ficaram feridos", confirmou Syniehubov.

O responsável militar enfatizou que os russos usaram veículos aéreos não tripulados para fins de reconhecimento em toda essa área.

Enquanto isso, na região de Mykolaiv, no sul do país, outras 25 pessoas ficaram feridas após os ataques russos de domingo.

A responsável do Conselho Regional de Mykolaiv, Hanna Zamazeyeva, relatou estes ataques no Telegram.

"Cerca de 25 pessoas ficaram feridas na região de Mykolaiv no último dia. Felizmente, não há crianças entre as vítimas. Todos os feridos foram transferidos para nossos centros de saúde, onde recebem a assistência necessária", declarou Zamazeyeva.

Hanna Zamazeyeva explicou que existem atualmente 367 pacientes nos hospitais de Mykolaiv, todos com ferimentos provocados por ataques russos desde o início da invasão, em 24 de fevereiro.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.793 civis, incluindo 176 crianças, e feriu 2.439, entre os quais 336 menores, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra já causou um número indeterminado de baixas militares e a fuga de mais de 11 milhões de pessoas, das quais 4,5 milhões para os países vizinhos.

Esta é a pior crise de refugiados na Europa desde a II Guerra Mundial (1939-1945) e as Nações Unidas calculam que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de