40,2ºC. Reino Unido bate recorde de temperatura mas termómetros podem subir mais

Temperatura mais elevada no Reino Unido foi registada no aeroporto de Heathrow, ultrapassando os 39,1º registados uma hora antes em Charlwood.

O Reino Unido bateu esta terça-feira o recorde de temperatura mais alta, com uma leitura provisória de 40,2 graus Celsius, de acordo com o instituto meteorológico britânico Met Office, que antecipa que o valor seja ultrapassado durante a tarde.

A temperatura foi registada no aeroporto de Heathrow, ultrapassando os 39,1º registados uma hora antes em Charlwood, cerca de 50 quilómetros a sul de Londres.

A temperatura mais elevada registada anteriormente no Reino Unido era de 38,7 ºC em Cambridge, em 2019.

O Met Office já tinha indicado esta manhã que as temperaturas ultrapassaram durante a noite os 25 ºC pela primeira vez de que que existem registos em Londres, País de Gales e perto de Hull, no norte de Inglaterra.

"É provável que as temperaturas aumentem ainda mais ao longo do dia", indicou o organismo, que antecipou que seja ultrapassada a marca de 40 ºC.

Grande parte do centro de Inglaterra, entre Londres e o Leeds, está sob o primeiro alerta vermelho de "calor extremo" emitido pelas autoridades britânicas devido ao risco de morte para pessoas.

A situação está a afetar os transportes, escolas e outros serviços num país pouco habituado para este tipo de temperaturas, onde muitos edifícios públicos, incluindo hospitais, não têm ar condicionado.

O Metro de Londres está funcionar, mas com limitações devido às restrições de velocidade impostas nos transportes ferroviários pois o calor pode fazer o metal expandir, deformar e partir, aumentando o risco de descarrilamentos.

Em alguns supermercados britânicos, produtos como gelados e garrafas de água esgotaram, mas as ruas e parques públicos em Islington, no norte de Londres, não estão hoje particularmente frequentados.

"Estou a trabalhar de casa, só saí para comprar alguma coisa para o almoço", comentou Elise junto a uma loja de sanduíches, enquanto Tom admitiu que "está mais calor do que esperava".

"Às vezes eles [autoridades] exageram, mas desta vez está mesmo quente", confiou, limpando o suor da testa.

No centro da capital britânica, algumas pessoas aproveitaram a água das fontes públicas em Trafalgar Square para se refrescarem, apesar de ser normalmente proibido.

Porém, o calor levou o Supremo Tribunal britânico a suspender as visitas do público e a realizar audiências virtuais, enquanto o Museu Britânico planeia fechar mais cedo.

A estação de King's Cross, em Londres, por onde passam diariamente mais de 200.000 pessoas, estava hoje praticamente vazia devido ao cancelamento de dezenas de comboios para cidades a norte, nomeadamente Edimburgo, Newcastle, Hull, Leeds ou York.

A Network Rail, empresa responsável pela manutenção da rede ferroviária, e que nos últimos dias pintou carris de branco para refletir o calor, revelou que algumas linhas chegaram aos 62 ºC na segunda-feira.

Devido ao risco de o alcatrão das estradas derreter, em algumas partes do país, como York, as autoridades locais espalharam uma camada fina de areia para absorver betume.

Na zona de Cambridge, a polícia local alertou pelas redes sociais para uma lomba numa estrada.

"Não, a A14 não está a ser transformada num parque de skate. Infelizmente, a superfície da estrada não está a lidar bem com este calor", comentou.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de