ACNUR afirma que refugiados ucranianos atingem os dois milhões

Desde a Segunda Guerra Mundial que não existia um movimento de refugiados deste tipo na Europa, nota o Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados.

Um número superior aos dois milhões de refugiados de guerra da Ucrânia está prestes a ser ultrapassado, afirmou o Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Filippo Grandi. Grandi revelou que o número atinge, esta terça, os dois milhões, na sua página oficial no Twitter, depois de já ter abordado o assunto, momentos antes, durante uma conferência de imprensa em Oslo.

O alto responsável da ONU referiu-se ao número de refugiados após uma deslocação que efetuou à Roménia, Moldávia e Polónia, três países que fazem fronteira com a Ucrânia que está a ser atacada pela Rússia desde 24 de fevereiro.

As guerras nos Balcãs, na Bósnia e no Kosovo, também provocaram um grande fluxo de refugiados - "cerca de dois ou três milhões mas num período de oito anos" -, sublinhou Grandi. "Agora, foram oito dias", acrescentou, em conferência de imprensa.

"Em várias regiões do mundo vemos coisas destas mas na Europa é a primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945)", afirmou.

A Rússia garantiu abrir, esta terça-feira, corredores humanitários para a retirada de milhares de civis das principais cidades da Ucrânia e que se encontram sob o fogo da artilharia de Moscovo desde o passado dia 24 de fevereiro.

Notícia atualizada às 10h09

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de