Organização para a Segurança europeia denuncia "incidentes" com morteiros na Ucrânia

A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa reporta o uso de morteiros numa zona de confronto entre separatistas pró-russos e as forças ucranianas.

Nas últimas horas, aconteceram na Ucrânia vários incidentes na linha de fronteira entre separatistas apoiados pela Rússia e as forças ucranianas. A informação foi avançada pela Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.

Ainda não há uma tomada de posição oficial sobre estes incidentes, mas uma fonte da organização deu conta da sua ocorrência à agência Reuters. Num comunicado citado pela agência de notícias, representantes da autoproclamada República Popular de Luhansk acusaram as forças ucranianas, de, nas últimas 24 horas, terem usado morteiros, granadas e uma metralhadora em quatro incidentes distintos.

Entre os alvos desses ataques está, alegam os separatistas, as instalações de um infantário. O comunicado informa ainda que falta apurar se há vítimas, em resultado dos alegados ataques.

A declaração acrescenta que as Forças Armadas da Ucrânia violaram de forma grosseira o regime de cessar-fogo usando armamento pesado, que, segundo os acordos de Minsk, firmados em 2015 entre a Rússia e a Ucrânia, deveria ser retirado.

Já o exército ucraniano negou que as suas forças tenham atacado, garantindo que foram os rebeldes que bombardearam militares ucranianos.

Moscovo voltou esta quinta-feira a garantir que está a retirar o seu contingente militar da Crimeia, mas a NATO continua a afirmar que a Rússia está a reforçar o número de efetivos junto à fronteira ucraniana.

Nesta manhã, a situação na Ucrânia vai ser analisada pelos líderes da União Europeia num encontro informal antes da cimeira entre os 27 e a União Africana.


LEIA AQUI TUDO SOBRE A TENSÃO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de