Candidatos conservadores britânicos distanciam-se de Boris Johnson

Cinco candidatos começaram a traçar as suas linhas, dando origem a uma discussão mais acalorada do que parecia à primeira vista.

Os candidatos conservadores que lutam pela sucessão de Boris Johnson tentaram sexta-feira distanciar-se do legado do primeiro-ministro britânico, de quem questionaram a sua honestidade ou decisões como a subida da contribuição social, no primeiro debate televisivo entre si.

Depois de um início em que todos reconheceram as virtudes dos seus opositores, os cinco candidatos começaram a traçar as suas linhas, dando origem a uma discussão mais acalorada do que parecia à primeira vista.

Apesar de o formato do debate prever perguntas dos cidadãos presentes na audiência no "Channel 4" (canal de televisão onde foi transmitido o debate), o moderador perguntou aos candidatos se acreditavam que Boris Johnson era "honesto".

Da resposta ambígua dada pela ministra dos Negócios Estrangeiros, Liz Truss, e da do deputado Kemi Badenoch que considerou como "às vezes", nenhum dos presentes se atreveu a dar uma resposta afirmativa, embora o mais contundente tenha sido o chefe da comissão de Negócios e Estrangeiros do parlamento, Tom Tugendhat, que acenou com a cabeça e foi aplaudido pelo público.

O principal favorito e um dos mais votados dos deputados conservadores, Rishi Sunak, reconheceu que queria dar a Boris Johnson "o benefício da dúvida", mas não pôde mais fazê-lo e, portanto, renunciou ao Governo.

Ao prometer "honestidade e responsabilidade" aos cidadãos, se for eleito líder do Partido Conservador e, portanto, primeiro-ministro, Sunak distanciou-se claramente do homem que o elegeu ministro das Finanças de 2019 a 2020.

A expectativa era grande para ver a atuação do favorito nas casas de apostas e até agora segunda nas votações dos deputados, a secretária de Estado do Comércio, Penny Mordaunt.

No entanto, a também antiga ministra da Defesa sofreu ataques dos outros dois candidatos da ala direita dos conservadores, Truss e Badenoch, e mal conseguiu brilhar.

"Eu não sou a oferenda tradicional, nem a candidato de continuação; eu sou o futuro", disse Mordaunt na sua breve declaração de encerramento.

Aqueles que foram mais aplaudidos foram Sunak e Tugendhat. Badenoch, por sua vez, também deixou uma impressão agradável graças à contundência das suas intervenções, um pouco ofuscadas por uma tosse recorrente que provocou rumores sobre uma possível infeção por covid.

O próximo debate televisivo terá lugar no domingo e o último na segunda-feira. Ao longo da próxima semana, os deputados conservadores vão continuar a votar para deixar apenas dois candidatos na disputa que irão competir pelo cargo de Boris Johnson.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de