De Lisboa a Viena. As imagens das manifestações contra as restrições nas ruas europeias

Foram várias as cidades onde se protestou contra as restrições provocadas pela pandemia de Covid-19. Em alguns locais, verificaram-se confrontos entre as autoridades e os manifestantes.

Este sábado fica marcado por várias manifestações contra as restrições impostas pela pandemia de Covid-19, um pouco por todo o mundo. De Portugal a Áustria, passando pelo Reino Unido, Alemanha e Suíça, várias cidades foram palco de protestos.

Em Lisboa, quase três mil pessoas manifestaram-se contra a gestão da pandemia de Covid-19 em Portugal e por uma maior liberdade individual e social. A manifestação começou no Parque Eduardo VII e desceu pela Avenida da Liberdade até terminar no Rossio, onde se concentrou a maioria das pessoas, onde se entoaram cânticos e onde foram proferidos os discursos dos representantes dos diversos movimentos envolvidos.

A grande maioria dos manifestantes apresentou-se sem máscara de proteção individual e não guardou distância social de segurança, tendo muitos ainda aparecido com bandeiras de Portugal e cartazes com mensagens de protesto, tais como: 'Covid-1984', 'Devolvam a liberdade', 'Deixem as crianças viver', 'O vírus são os media', 'Sabemos pensar e decidir' ou 'Costa, Marcelo e DGS: Vemo-nos em Nuremberga'.

Em Londres, milhares de pessoas protestaram contra o confinamento imposto para conter a pandemia no Reino Unido, muitas delas sem máscara e sem respeitar a distância de segurança pessoal, regras básicas exigidas pelas autoridades.

Entre os manifestantes estavam "negacionistas" da Covid-19 e partidários de teorias da conspiração, bem como pessoas que não negam a existência do vírus, mas consideram excessivas e contraproducentes as restrições impostas pelo Governo britânico.

Em Cassel, uma cidade do centro da Alemanha, eclodiram confrontos entre a polícia e manifestantes contra as medidas tomadas no âmbito do combate à Covid-19, durante um dos maiores protestos desde o início do ano neste país.

Vários milhares de manifestantes reuniram-se numa praça no centro de Cassel, sem distanciamento físico e sem máscara, tendo um grupo tentado forçar a passagem através de um cordão policial o que levou as autoridades a dispersá-los usando gás pimenta, observou um jornalista da AFP.

Muitas outras cidades alemãs registaram protestos semelhantes, mas em menor escala, no último fim de semana, tendo como pano de fundo a terceira vaga de Covid-19, confirmada no país apesar das medidas restritivas impostas durante meses para conter a propagação da doença.

Também na cidade de Liestal, na Suíça, dezenas de milhares de pessoas, exigindo o fim das medidas de restrição impostas para conter a pandemia de Covid-19. Entre três mil e cinco mil pessoas, entre elas algumas vestidas com macacões brancos, participaram numa "manifestação silenciosa" nesta cidade do cantão de Basel, norte do país, segundo o número de participantes estimado pelos jornalistas locais.

Muitos manifestantes não usavam máscaras, sendo que alguns seguravam cartazes em que se dizia: "Chega!", "Vacinas matam" ou "Que o amor seja o vosso guia, não o medo".

Por fim, em Viena, na Áustria, vários milhares de pessoas, muitas sem máscara e sem manterem a distância de segurança, participaram numa nova manifestação ilegal, onde aconteceram confrontos isolados com a polícia, contra as medidas restritivas do Governo de combate à pandemia.

Ao contrário de protestos anteriores, os manifestantes não se reuniram num só local, mas sim em vários pontos da cidade, de onde saíram em pequenos grupos.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.702.004 mortos no mundo, resultantes de mais de 122,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de