Diretor da OMS apela a mais colaboração em matéria de origem do vírus

Tedros Adhanom Ghebreyesus agradeceu a Li Keqiang o apoio da China para "revigorar a OMS".

O diretor geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) falou ao primeiro-ministro chinês da "necessidade" de "colaboração mais forte" para determinar as origens da Covid-19, baseadas "na ciência e nas provas".

Numa mensagem publicada no seu perfil oficial no Twitter no sábado à noite, Tedros Adhanom Ghebreyesus agradeceu a Li Keqiang o apoio da China para "revigorar a OMS".

Os dois responsáveis discutiram também o reforço das campanhas globais de vacinação para assegurar que 70% da população mundial recebesse a vacina contra o coronavírus.

"A solidariedade é fundamental para garantir o acesso e a acessibilidade das vacinas", acrescentou.

Na sequência da reunião de sábado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da China emitiu uma declaração em que afirmava que Tedros disse que "a OMS adere aos princípios científicos para investigar a origem do vírus e se opõe à politização" desse processo.

Tedros realizou hoje outra reunião, agora com o ministro dos Negócios Estrangeiros chinês Wang Yi, que afirmou que a venda de mais de 2,1 mil milhões de doses de vacinas a mais de 120 países e organizações internacionais é "a maior operação humanitária de emergência" que a China lançou desde a fundação da República Popular em 1949.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de