Embaixada pede a portugueses na Ucrânia que entrem em contacto "o mais rapidamente possível"

O pedido da embaixada de Portugal na Ucrânia surge depois do Governo ter aconselhado os cidadãos nacionais a abandonarem o país.

A embaixada de Portugal na Ucrânia pediu, este domingo, aos portugueses que se encontrem no país para entrarem em contacto com "o mais rapidamente possível".

"Agradecemos a todos os cidadãos portugueses residentes ou que se encontrem temporariamente na Ucrânia e com os quais ainda não foi possível contactar por email ou telefone que informem a Embaixada do seu paradeiro e novos contactos o mais rapidamente possível através do seguinte email: sconsular.kiev@mne.pt", pode ler-se na nota.

Este pedido surge após o Governo português ter aconselhado, no sábado, os cidadãos nacionais que se encontrem na Ucrânia, e que "não tenham uma razão premente para ficar, a que saiam do país enquanto o podem fazer pelas vias normais".

O Ocidente e a Rússia vivem atualmente um momento de forte tensão, com o regime de Moscovo a ser acusado de concentrar pelo menos 150.000 soldados nas fronteiras da Ucrânia, numa aparente preparação para uma potencial invasão do país vizinho.

Moscovo desmente qualquer intenção bélica e afirma ter retirado parte do contingente da zona.

Entretanto, nos últimos dias, o exército da Ucrânia e os separatistas pró-russos têm vindo a acusar-se mutuamente de novos bombardeamentos no leste do país, onde a guerra entre estas duas fações se prolonga desde 2014.

Os observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) anunciaram no sábado ter registado em 24 horas mais de 1.500 violações do cessar-fogo na Ucrânia oriental, número que constitui um recorde este ano.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de