EUA e aliados vão proibir novos investimentos na Rússia

Após alegações de crimes de guerra na Ucrânia, entre as medidas tomadas pelos EUA estão o alargamento de sanções contra instituições financeiras e empresas estatais russas e sanções contra funcionários do governo e familiares.

Os Estados Unidos e aliados ocidentais vão, esta quarta-feira, impor sanções adicionais ao Kremlin, incluindo a proibição de qualquer novo investimento na Rússia, após alegações de crimes de guerra na Ucrânia, avançou a Casa Branca.

Entre as medidas tomadas estão o alargamento de sanções contra instituições financeiras e empresas estatais russas e sanções contra funcionários do governo e familiares, disse na terça-feira a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki.

"A meta é forçá-los a fazer uma escolha", disse ela. "A maior parte do nosso objetivo aqui é esgotar os recursos que [o Presidente russo, Vladimir] Putin tem para continuar a sua guerra contra a Ucrânia."

As sanções visam aumentar o "isolamento" económico, financeiro e tecnológico da Rússia do resto do mundo, como forma de penalização pelos ataques a civis na Ucrânia, disse Psaki.

A porta-voz disse que as imagens de alegados massacres na cidade de Bucha, nos arredores de Kiev, são apenas "a ponta do iceberg" e que que "provavelmente" as forças russas "também cometeram atrocidades" em outras partes da Ucrânia.

Psaki disse que o governo está a avaliar "medidas adicionais", mas sublinhou que o Presidente norte-americano Joe Biden não está a considerar nenhuma ação militar na Ucrânia.

Também na terça-feira, o Departamento do Tesouro norte-americano decidiu bloquear quaisquer pagamentos da dívida do governo russo com dólares americanos provenientes de contas em instituições financeiras dos EUA, dificultando o cumprimento das obrigações financeiras por parte da Rússia.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.480 civis, incluindo 165 crianças, e feriu 2.195, entre os quais 266 menores, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra já causou um número indeterminado de baixas militares e a fuga de mais de 11 milhões de pessoas, das quais 4,2 milhões para os países vizinhos.

Esta é a pior crise de refugiados na Europa desde a II Guerra Mundial (1939-1945) e as Nações Unidas calculam que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de