Fluxo de refugiados da Ucrânia diminui nas últimas 24 horas

A ACNUR listou 2.597.543 refugiados da Ucrânia, mais 92.650 do que na contagem anterior, muito menos do que o número diário de pessoas que cruzaram a fronteira ucraniana desde o início do conflito.

O fluxo de pessoas que fogem do conflito na Ucrânia desacelerou na sexta-feira, para se aproximar de 2,6 milhões de refugiados, duas semanas após a invasão russa, de acordo com a última contagem da ONU divulgada este sábado.

O Alto Comissariado para os Refugiados (ACNUR) listou 2.597.543 refugiados da Ucrânia no seu 'site', mais 92.650 do que na contagem anterior, muito menos do que o número diário de pessoas que cruzaram a fronteira ucraniana desde o início do conflito.

No entanto, a Europa não assistia a um fluxo tão rápido de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial, de acordo com o alto-comissário para os refugiados, Filippo Grandi.

Quatro milhões de pessoas podem abandonar o país para escapar à guerra, segundo as primeiras previsões da ONU, um número que deve ser revisto em alta, segundo o ACNUR.

Antes do conflito, a Ucrânia tinha 37 milhões de habitantes nos territórios controlados por Kiev -- excluindo a Crimeia anexada pela Rússia e as áreas sob controlo de separatistas pró-russos.

A Polónia acolheu 1.575.703, mais de metade dos refugiados do conflito na Ucrânia, segundo o ACNUR.

A Hungria recebeu 235.576 pessoas até sexta-feira, altura até à qual entraram na Eslováquia 185.673, de acordo com a mesma fonte.

O número de pessoas que encontraram refúgio na Rússia é de 106.000 e, na Moldávia, de 104.929, até quinta-feira.

O Alto Comissariado para os Refugiados não atualizou as estatísticas referentes à Roménia, mas a ONU quantificou 85.000 refugiados em 08 de março.

Tal como acontece com a Moldávia, muitos refugiados decidem não permanecer, quando se encontram seguros.

Desde 24 de fevereiro, 365.000 pessoas entraram na Roménia e pouco mais de 280.000 saíram, detalharam as autoridades romenas na sexta-feira.

Cerca de 304.000 pessoas continuaram a sua jornada em direção a outros países europeus.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já causou pelo menos 564 mortos e mais de 982 feridos entre a população civil e provocou a fuga de cerca de 4,5 milhões de pessoas, entre as quais 2,5 milhões para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de