França acusa Rússia de mentir ao acusar Ucrânia de violar direito humanitário

As acusações de Vladimir Putin de "violações flagrantes" do direito humanitário pelas forças ucranianas são "mentira", segundo a Presidência francesa, que reagiu após uma conversa telefónica, este sábado, entre o líder russo, o presidente francês Emmanuel Macron e o chanceler alemão Olaf Scholz.

Durante a conversa de cerca de uma hora e meia com Putin, os líderes da Alemanha e da França pediram novamente à Rússia um "cessar-fogo imediato" e que "acabem com o ataque" a Mariupol, onde a situação é "humanamente insustentável", disse a Presidência francesa.

Putin falou em "assassínios extrajudiciais de opositores", "civis feitos reféns" e sua "utilização como escudos humanos" bem como a "colocação de armas pesadas em zonas residenciais, na proximidade de hospitais, escolas e jardins de infância", segundo um comunicado do Kremlin.

O líder russo acusou ainda "batalhões nacionalistas" da Ucrânia de "perturbarem sistematicamente as operações de salvamento e de intimidar civis que tentam sair" das zonas de combate.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de