Japão envia coletes à prova de bala, capacetes e mantimentos para Ucrânia

O avião de transporte deixou a base aérea de Komaki, no centro do Japão, na terça-feira à noite para a fronteira da Polónia com a Ucrânia.

O Japão enviou coletes à prova de bala, capacetes, mantimentos e vestuário de inverno para a Ucrânia, sendo esta a primeira vez que doa estes equipamentos a outro país.

O Japão mantém uma postura pacifista, desde a Segunda Guerra Mundial, durante a qual foi bombardeado, em Hiroshima (ilha de Honshu) e Nagasaki (ilha de Kyushu), com a bomba atómica, em agosto de 1945.

Numa reunião com o embaixador da Ucrânia em Tóquio, Sergii Korsunski, o ministro da Defesa japonês, Nobuo Kishi, "expressou as mais profundas condolências pelos soldados ucranianos mortos no cumprimento do dever e pelos que pereceram na guerra, bem como um profundo respeito pelos soldados ucranianos e pelo povo que continua a luta", de acordo com uma mensagem publicada pelo Ministério da Defesa nipónico na conta na rede social Twitter.

"O Japão opõe-se absolutamente à invasão russa da Ucrânia, que constitui uma grave violação do direito internacional e da Carta das Nações Unidas, abalando os alicerces da ordem internacional", afirmou, noutra mensagem.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que causou pelo menos 406 mortos e mais de 800 feridos entre a população civil e provocou a fuga de mais de dois milhões de pessoas para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de