Mais de 40 jornalistas e 68 ativistas assassinados no México no mandato de Obrador

Nove dos jornalistas que foram mortos encontravam-se sob um programa de proteção governamental.

O Governo mexicano afirmou, esta segunda-feira, que 68 ativistas de direitos humanos e ambientais, bem como 43 jornalistas foram assassinados durante o atual mandato.

O Presidente, Andrés Manuel López Obrador, tomou posse a 1 de dezembro de 2018, e tinha prometido proteger os jornalistas, mas os críticos têm questionado se o Governo está a fazer o suficiente.

O Ministério do Interior disse que 1.478 ativistas e jornalistas estão atualmente a receber proteção governamental, mas nove dos que foram mortos estavam nesse programa.

Acredita-se que muitos dos assassínios foram ordenados por cartéis de droga ou funcionários corruptos, mas relativamente poucos dos casos foram resolvidos.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de