Rússia está disposta a negociar, mas só se a Ucrânia 'depuser as armas'

O ministro russo das Relações internacionais, Sergey Lavrov, também reproduziu as palavras de Putin: "O objetivo da operação é claro: a desmilitarização e desnazificação" da Ucrânia.

A Rússia diz estar pronta para negociações com as autoridades ucranianas, mas só se a Ucrânia "depuser as armas", como declarou o ministro russo das Relações internacionais, Sergey Lavrov, esta sexta-feira.

"Estamos prontos para negociações, a qualquer momento, assim que as Forças Armadas ucranianas nos ouçam e largue as suas armas", disse o chanceler, numa entrevista conferência de imprensa no dia seguinte ao início da invasão russa na Ucrânia.

"O presidente [Vladimir] Putin tomou a decisão de começar esta operação militar especial para desmilitarizar e desnazificar a Ucrânia para que, livres dessa opressão, os ucranianos possam escolher livremente seu futuro", afirmou.

O diplomata russo também reproduziu as palavras de Putin, assegurando que "ninguém está se preparando para ocupar a Ucrânia. O objetivo da operação é claro: a desmilitarização e desnazificação".

A Rússia acusa a Ucrânia de cometer um "genocídio" da população de língua russa do leste do país vizinho, sem fornecer nenhuma prova a respeito. "Queremos que o povo da Ucrânia, todos os povos ucranianos, determinem livremente o seu futuro", completou Lavrov.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de