Russos e ucranianos vão voltar a reunir-se, acusações mútuas e outros destaques TSF

Moscovo e Kiev concordaram numa nova ronda negocial após várias horas de reunião realizada na Bielorrússia.

As negociações entre a Rússia e a Ucrânia, realizadas na Bielorrússia, terminaram. De acordo com agência France-Press, que cita uma fonte ucraniana, ficou acordado "uma nova ronda negocial" entre Moscovo e Kiev. A mesma fonte indicou ainda que as delegações que estiveram presentes na reunião irão regressar às respetivas capitais para consultas.

Sergiy Kylslysya, embaixador ucraniano das Nações Unidas, lembrou que a Rússia tem usado todo o seu poderio militar para atacar a Ucrânia, chegando até a disparar mísseis, e acusa o país de cometer "crimes de guerra".

Já o embaixador russo na ONU, Vasily Nebenzya, acusa os media ocidentais de dizerem muitas mentiras em relação à Rússia, garantido que o país, liderado por Vladimir Putin, apenas exerceu direito de autodefesa, depois de ter lançado uma ofensiva contra a Ucrânia.

António Guterres reforçou o apoio da ONU à Ucrânia e sublinha que é importante proteger as pessoas e garantir o livre movimento da ajuda humanitária.

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell afirmou que a adesão da Ucrânia à União Europeia "não é um assunto na agenda" da UE. Borrell falava à entrada para uma reunião de ministros da Defesa, onde seriam tratadas "coisas mais práticas".

O alto representante da União Europeia recusou ainda dar detalhes sobre os apoios europeus que possam ser úteis à Ucrânia, mas garantiu que vão passar por armas e munições.

O êxodo massivo de refugiados ucranianos não dá sinais de abrandamento, com a Organização das Nações Unidas a estimar que mais de 500.000 pessoas já fugiram da Ucrânia devido à invasão russa. Longas filas de automóveis e de autocarros foram bloqueadas nos postos de controlo das fronteiras da Polónia, Hungria, Eslováquia, Roménia e Moldávia, que não é membro da União Europeia.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, assinou o pedido formal para a entrada do país na União Europeia.

Na Caixa Geral de Depósitos foram reportadas falhas no acesso aos serviços nos balcões, nomeadamente o site e a aplicação da Caixadireta. O erro no acesso à aplicação está a ser reportado por vários utilizadores.

O antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrande, morreu esta segunda-feira. A informação foi avançada pela Rádio Renascença e confirmada por fonte socialista à TSF. O antigo governante tinha 51 anos e foi responsável pela pasta dos Assuntos Fiscais no primeiro Governo de António Costa, tendo deixado o executivo na sequência do caso Galpgate.

Com as eleições para a liderança do clube leonino aí à porta - realizam-se a 5 de março-, o jornalista Mário Fernando, da TSF, entrevistou Ricardo Oliveira, candidato à presidência do Sporting.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de