Turquia poderá propor cessar-fogo na Ucrânia e mediar encontro entre Zelensky e Putin

Erdogan chegou esta quinta-feira a Lviv, onde se vai reunir com o Presidente ucraniano.

O Presidente da Turquia poderá propor, nas conversações de Lviv, um cessar-fogo na Ucrânia e a sua mediação para um encontro entre os líderes ucraniano e russo, noticiou a agência russa TASS, citando uma televisão turca.

Recep Tayyip Erdogan chegou esta quinta-feira a Lviv, uma cidade na zona ocidental da Ucrânia, onde se vai reunir com o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, e com o secretário-geral da ONU, António Guterres.

Citando o canal turco NTV, a agência oficial russa disse que Erdogan também poderá propor a mediação de Ancara para a troca de prisioneiros de guerra entre a Ucrânia e a Rússia.

Segundo a TASS, "Erdogan também planeia oferecer-se para retomar o processo de negociação de Istambul e fazer da Turquia uma plataforma para uma reunião entre os presidentes da Rússia e da Ucrânia".

Segundo fontes governamentais citadas pela NTV, Erdogan manifestará igualmente o seu apoio à extensão do acordo que permitiu retomar a exportação de cereais ucranianos que ficaram bloqueados pela guerra, iniciada em 24 de fevereiro.

Trata-se da primeira visita de Erdogan à Ucrânia desde a invasão russa.

O Presidente turco tinha visitado a Ucrânia em 3 de fevereiro deste ano, semanas antes do início da guerra.

Segundo a TASS, Erdogan vai reunir-se primeiro com Zelensky, seguindo-se um encontro dos dois chefes de Estado com António Guterres.

No final das conversações, deverá ser divulgada um comunicado, de acordo com a agência oficial russa.

A ONU é uma das partes do acordo que permitiu retomar a exportação de cereais ucranianos, alcançado no final de julho, sob mediação turca.

O centro de inspeção dos navios está localizado em Istambul.

O chefe da Comissão dos Assuntos Internacionais do Conselho da Federação Russa, Grigory Karasin, defendeu hoje que o desenvolvimento futuro da situação na região depende em grande parte dos resultados específicos das conversações de Lviv.

"Vamos acompanhar de perto a próxima reunião em Lviv de Guterres, Erdogan e Zelensky. Não só palavras, declarações e emoções serão importantes, mas acima de tudo as especificidades, das quais depende em grande parte o desenvolvimento futuro dos acontecimentos na Ucrânia e países vizinhos", disse Karasin, citado pela TASS.

Karasin disse também não compreender o motivo de os peritos da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) ainda não terem visitado a central nuclear de Zaporijia, "tendo como pano de fundo a crescente preocupação no mundo sobre as provocações de Kiev em torno da central nuclear".

"Vamos esperar pelos resultados" das conversações de Lviv, acrescentou.

As forças russas controlam a central de Zaporijia, no sudeste da Ucrânia, mas ambas as partes acusam-se mutuamente de ataques que podem provocar um desastre nuclear.

A Ucrânia tem quatro centrais nucleares em funcionamento, com um total de 15 reatores, seis dos quais na de Zaporijia.

A visita de uma equipa de peritos de AIEA à central nuclear é um dos temas anunciados para as conversações de hoje em Lviv.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de