"Bielorrússia também será visada." UE dá luz verde a novo pacote de sanções e pede mais medidas

Exclusão da Rússia do sistema europeu de pagamentos Swift não colhe apoios suficientes.

Os 27 Estados-Membros já fecharam um acordo preliminar para que o novo pacote de sanções contra a Rússia seja aprovado.

O Conselho Europeu vai pedir à comissão para endurecer as medidas, com um "novo pacote de sanções" que "inclua também a Bielorrússia", considerando que o regime liderando por Alexander Lukashenko deve igualmente ser "condenado pelo envolvimento na agressão contra a Ucrânia".

De acordo com fontes europeias ouvidas pela TSF, os 27 Estados-membros já fecharam um acordo preliminar para que o novo pacote com sanções económicas, políticas e financeiras, apresentado esta manhã pela comissão europeia contra a Rússia seja aprovado.

Os governos europeus concordam que devem ser adicionadas novas medidas, mas as discussões sobre a exclusão da Rússia do sistema europeu de pagamentos Swift, não colhe apoios suficientes.

Os países do Báltico e a polónia entendes que a União deve avançar com a medida, mas os representantes de estados como a Alemanha, Itália ou Chipre, entende que o passo não deve ser dado.

Na reunião desta noite, os líderes europeus vão condenar "com a maior veemência" a agressão militar à Ucrânia, considerando que a Rússia está a violar "grosseiramente" a ordem internacional e os princípios da Carta das Nações Unidas.

Vão exigir que a Rússia para cessar imediatamente as ações militares, e que retire incondicionalmente todas as forças e equipamento militar do território da Ucrânia e

Devem igualmente permitir "o acesso humanitário seguro e desimpedido e assistência a todas as pessoas necessitadas".

Vão atribuir "total responsabilidade" à Rússia pelo "acto de agressão", lançado sobre o território de um "Estado soberano",

Num documento de trabalho lido pela TSF, os líderes europeus exigem que a Rússia seja responsabilizada por "toda a destruição e perda de vidas humanas", que vier a resultar desta guerra em solo europeu.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de