Depois de Lavrov e Macron, Blinken em África. Aguarda-se um movimento chinês!

Há uma semana, no domingo 7, o Secretário de Estado americano Antony Blinken, iniciou a sua segunda visita oficial ao continente africano, tendo passado pela África do Sul, República Democrática do Congo e Ruanda. A importância desta visita insere-se no seguimento das também recentes passagens por África do Ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov e do Presidente (PR) francês Emmanuel Macron. Ou seja, no contexto da guerra na Ucrânia, todos "contam espingardas" em todas as frentes, pelo que do ponto de vista diplomático, esta já é uma guerra mundial!

Num resumo destas investidas diplomáticas africanas de julho e agosto, Lavrov antecipou-se e foi o primeiro a ir ao Egipto, República Democrática do Congo, Uganda e Etiópia (uma África mais oriental). Praticamente em simultâneo o PR francês investia nos Camarões, Benim e Guiné-Bissau (uma África mais ocidental) e, por último, Blinken passou na semana passada pela África do Sul, República Democrática do Congo e Ruanda (uma África mais central, no sentido em que abarca sul, centro e oriente). Os dados estão lançados, aguardando-se o próximo movimento chinês neste tabuleiro. Os chineses têm sido aliás, os mais discretos em todo este processo, mas não os menos objectivos, já que têm sido os maiores "capitalizadores" do conflito europeu. Na prática há três superpotências no planeta, sendo que duas se confrontam quase directamente, enquanto uma terceira observa e capitaliza!

Senegal-Casamança

Na crónica de há uma semana, o título desta era "Senegal-Casamança em acordo secreto". No mesmo escrevi que este acordo de paz fora assinado por César Atoute Badiate, representante da facção do MFDC (Movimento das Forças Democráticas de Casamança) que defende a deposição das armas, o que poderia inviabilizar este acordo, caso a facção beligerante do Movimento não alinhasse neste momento. Foi exactamente o que aconteceu durante a passada semana, com Salif Sadio, líder da ala beligerante do MFDC. Sadio afirma não saber de nada sobre o referido acordo de paz, tratando-se de mero teatro, também na sua opinião. Aventa, esta ala liderada por Salif Sadio, que este acordo "visa abrir o caminho para uma operação militar conjunta das forças armadas do Senegal, da Gâmbia, da Guiné-Bissau e da ala do signatário do acordo, César Atoute Badiate, contra os homens de Salif Sadio", liquidando assim os independentistas de Casamança. Para já, está tudo na mesma e quem tem facturado com isto tem sido o PR bissau-guineense, Umaru Sissoko Embaló, que se tem legitimado com a visita do PR francês, com este acordo de paz, com as sintonias com o PR senegalês, Macky Sall, também PR da União Africana e o próprio Embaló enquanto PR da CEDEAO, a "CEE da África Ocidental".

Tunísia, num primeiro sinal de mudança pós-referendo

A Justiça tunisina suspendeu no dia 10 a destituição dos 57 juízes, decretada pelo PR Kais Saied, no primeiro de junho. Trata-se de um sinal de que a vida tende a voltar ao normal na Tunísia, já que destes, 53 apresentaram recurso da decisão, a qual foi agora suspensa pelo Conselho Superior de Magistratura (CSM), numa acção que aparenta independência face aos novos poderes presidenciais. Mesmo sendo o caso de o PR ter dado indicações ao CSM para tomar esta decisão, a mesma é indicadora de uma vontade de regresso à "casa de partida" e a um novo começo, naquela que ficou conhecida como a "pequena República dos professores", durante a longa presidência de Habib Bourguiba (1903-2000), entre 1957 e 1987.

A Acontecer/A Acompanhar

Numa criação da OCUBO, decorre actualmente no Reservatório da Mãe d"Água das Amoreiras, em Lisboa, uma experiência/apresentação multimédia sob o título "Misterioso Egipto", onde é possível vivenciar a centenária descoberta do tesouro do Faraó Tutankhamon (1922), a inscrição da Pedra da Roseta (1799), o fausto do reinado do Faraó Ramsés II - o Grande (1279 a.c. e 1213 a.c.), o enigma da construção das pirâmides em Gizé (com início estimado por volta do ano 2500 a.c.). Estas são algumas das icónicas paragens desta viagem, que tem entre outros patrocínios, o da Embaixada da República do Egipto em Portugal.

Raúl M. Braga Pires é autor do site Maghreb-Machrek, é Politólogo/Arabista e escreve de acordo com a antiga ortografia

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de