Contratos do SIRESP. Altice Portugal confirma que é uma das empresas alvo de buscas da PJ

Fonte oficial da dona da Meo confirma as buscas e acrescentou que a Altice Portugal "prestou à Polícia Judiciária toda a colaboração que lhe foi solicitada".

A Altice confirma que foi uma das empresas objeto de buscas pela Polícia Judiciária (PJ), tendo prestado "toda a colaboração que lhe foi solicitada" e estará disponível para todos os esclarecimentos, disse esta quinta-feira à Lusa fonte oficial.

A PJ está a fazer buscas na Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, quatro empresas e três residências particulares relacionadas com os contratos com a rede de emergência do Estado SIRESP, revelou esta quinta-feira o Ministério Público.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da dona da Meo "confirma que [a Altice] foi uma das empresas objeto de buscas pela Polícia Judiciária em cumprimento de mandato do Ministério Público, no âmbito de processo de investigação em curso".

A mesma fonte acrescentou que a Altice Portugal "prestou à Polícia Judiciária toda a colaboração que lhe foi solicitada".

Além disso, "a Altice Portugal esteve e sempre estará disponível para quaisquer outros esclarecimentos", concluiu a mesma fonte.

De acordo com o comunicado do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), a investigação está a ser conduzida pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da PJ.

As buscas domiciliárias e não domiciliárias decorrem em vários locais e visam "a recolha de prova relacionada com eventuais favorecimentos de indivíduos e/ou entidades particulares, em detrimento do interesse público, através de adjudicação de contratos relacionados com o SIRESP".

Em causa estarão os crimes de tráfico de influência, recebimento ou oferta indevidos de vantagem, corrupção passiva, corrupção ativa, participação económica em negócio, abuso de poder e prevaricação.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de