Exportações e importações crescem no 2.º trimestre de 2022

Segundo dados do INE, as exportações e as importações cresceram 31,2% e 37,7%, respetivamente.

As exportações e importações cresceram 31,2% e 37,7%, no segundo trimestre, face ao mesmo período de 2021, divulgou esta terça-feira o INE, que reviu também os resultados preliminares de 2021, para crescimentos de 18,3% nas exportações e 22% nas importações.

Segundo os dados do comércio internacional, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no segundo trimestre deste ano, as exportações e as importações cresceram 31,2% e 37,7%, respetivamente, em relação ao mesmo período de 2021.

A autoridade estatística apresentou também os resultados definitivos para o ano de 2021, que, em função de informação adicional entretanto obtida, apresentam revisões face aos resultados preliminares divulgados em junho, para aumentos de 18,3% nas exportações e de 22,0% nas importações (revisões de 0 e de 0,6 pontos percentuais, respetivamente).

Em junho de 2022, as exportações e as importações de bens registaram subidas homólogas nominais de 37,1% e 41,6%, respetivamente (+40,7% e +45,0%, pela mesma ordem, em maio de 2022).

O INE destacou que os índices de valor unitário (preços) registaram crescimentos de 18,6% nas exportações e de 26,0% nas importações.

A entidade salientou ainda os acréscimos em ambos os fluxos dos fornecimentos industriais (+29,0% nas exportações e +21,2% nas importações), dos combustíveis e lubrificantes (+159,8% e +220,3%, respetivamente) e do material de transporte (+60,6% e +46,1%, pela mesma ordem), também em termos nominais.

Excluindo combustíveis e lubrificantes, as exportações e as importações aumentaram 29,8% e 23,4%, respetivamente (+35,0% e +33,2%, pela mesma ordem, em maio de 2022).

Já os preços, excluindo os produtos petrolíferos registaram subidas homólogas de 13% nas exportações e 14,6% nas importações.

O défice da balança comercial de bens agravou-se em 903 milhões de euros face a junho de 2021, atingindo 2.522 milhões de euros.

Excluindo combustíveis e lubrificantes, o défice totalizou 1.275 milhões de euros, o que representa uma diminuição de nove milhões de euros, comparativamente a junho de 2021.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de