"No setor do turismo estamos a atravessar a tempestade perfeita. Esperamos medidas perfeitas"

Presidente da Confederação do Turismo de Portugal espera que Governo tenha "medidas perfeitas" para o setor.

Francisco Calheiros, presidente da Confederação do Turismo de Portugal, afirma que o setor do turismo está "a atravessar a tempestade perfeita" com uma guerra depois da pandemia.

"Vamos ouvir o que o Governo tem para nos dizer, mas esta situação, colando à pandemia, é absolutamente extraordinária. Estamos à espera que venham aí algumas medidas perfeitas", explicou Francisco Calheiros.
O Governo e parceiros sociais reúnem-se esta terça-feira à tarde com caráter de urgência para debater a situação de crise na Ucrânia, na sequência da invasão pela Rússia.

A reunião do Conselho Permanente da Concertação Social foi convocada pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, "com caráter de urgência", com o ministério liderado por Ana Mendes Godinho a indicar que o objetivo é o "acompanhamento da situação de crise na Ucrânia".

A escalada de preços da energia observada desde que a Rússia invadiu a vizinha Ucrânia tem levado várias associações empresariais a pedir ao Governo reforço de medidas que possam mitigar o impacto do agravamento dos custos.

Num comunicado emitido em 28 de fevereiro, no qual condena "veementemente" a invasão da Ucrânia, o Conselho Nacional das Confederações Patronais (CNCP) defende que o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) deve prever "ajustamentos" fiscais para responder ao impacto que o conflito terá nas empresas.

O CNCP diz também que as confederações patronais estão disponíveis para cooperar com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) para a integração profissional de refugiados da Ucrânia.

As confederações patronais dizem ainda que o "inevitável impacto económico" que o conflito terá em Portugal, sobretudo no domínio energético e alimentar, será "agravado ainda pela dramática situação de seca que assola o país".

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que, segundo as autoridades de Kiev, já fez mais de 2000 mortos entre a população civil.

Os ataques provocaram também a fuga de mais de 1,7 milhões de pessoas para os países vizinhos, de acordo com a ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de