Num lago de tubarões, o Fundão quer atrair investidores em Cannes com o isco da habitação

O município participa pela segunda vez no MIPIM, aquela que é considerada a maior feira mundial do setor imobiliário. O objetivo passa por reforçar o "parque público de habitação".

Por entre as mais de 23 mil pessoas de cerca de 90 países, existe um pequeno espaço dedicado ao Fundão no MIPIM. O município da Beira Baixa está no estrangeiro, mas o objetivo é captar investidores portugueses com enfoque "no tema da habitação". Por isso, decidiram estar próximos da comitiva lusa em Cannes.

No Palais des Festivals, pouca é a distância que separa o expositor do Fundão e os espaços reservados à Região de Lisboa - que abrange a câmara da capital, a de Almada e a de Vila Franca de Xira - e ao Greater Porto - que representa os municípios do Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia.

Ricardo Gonçalves, chefe de divisão de inovação e investimento da Câmara do Fundão, conta que fizeram "questão de estar perto das cidades portuguesas" porque veem "uma complementaridade" entre as regiões, uma vez que "o grande foco" da autarquia "é a comunidade portuguesa".

Pode não ter comida e bebida à discrição, como por exemplo os expositores de Munique ou de Berlim, ou pode nem sequer ter um décimo do espaço com vista para o mar reservado a Londres ou a Paris nesta feira. No entanto, o município do Fundão tem uma prioridade bem delineada.

"A estratégia do município neste momento está muito virada para a habitação e para o parque público de habitação", atira Ricardo Gonçalves em declarações aos jornalistas em Cannes, no sul de França.

Para isso, realça que o concelho "ao longo dos últimos anos tem conseguido criar um ecossistema amigo dos investidores e das empresas", que por sua vez tem atraído "muitas pessoas que procuram, em sítios como o Fundão, um novo estilo de vida, onde é possível conciliar a vida pessoal com a profissional".

Características que já deram frutos, depois de, no ano passado, terem estado pela primeira vez no MIPIM, em Cannes. Ricardo Gonçalves sublinha que atualmente existem ao todo quatro imóveis no centro da cidade que foram adquiridos por pessoas que estiveram na feira em 2022.

Dois desses edifícios "já estão reabilitados e no mercado de arrendamento, outros dois estão em fase de projeto ou de licenciamento", explica.

Uma perspetiva de crescimento que o Fundão espera que venha a ser alavancada com os contactos feitos esta semana em Cannes.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de