Portal "Work in Viana" criado pela Câmara para ajudar empresas no recrutamento de mão de obra

A acentuada escassez de mão de obra em várias setores de atividade levou a Câmara Municipal de Viana do Castelo a avançar com a criação de um portal na Internet que agregue informação da oferta e procura de emprego naquele concelho.

O "Work in Viana" (workinviana.com) ficou disponível 'online' esta quarta-feira à noite e abre espaço a que empresários divulguem as suas vagas de emprego e os interessados se apresentem aos lugares disponíveis. E a julgar pelas queixas das empresas já instaladas há algumas centenas de postos de trabalho à espera de candidatos.

"Neste momento precisamos de mão de obra para tudo. Precisamos de pedreiros, trolhas, carpinteiros, engenheiros, preparadores de obra, orçamentista, medidores, tudo. Temos trabalho, podíamos meter mais 30 ou 40 pessoas tranquilamente", afirma Paulo Balinha, empresário da construção civil, referindo que a sua empresa Baltor, fundada em 2008 e que atualmente executa a demolição do prédio Coutinho em Viana do Castelo, já tem 250 trabalhadores. "Ultimamente, coincidentemente com o início da pandemia, a dificuldade de recrutamento sente-se de uma forma acentuada e transversal a todos os sectores. E, infelizmente, é uma tendência que não se vislumbra que venha a melhorar", lamenta. "

A empresa do sector automóvel BorgWarner, que possui duas unidades fabris em Viana, dá emprego "a 1200 pessoas de nove nacionalidades" e tem vagas em aberto. "Pretendemos crescer com mais 200 postos de trabalho este ano. Temos conseguido encontrar talentos, mas começamos a notar alguma dificuldade [de recrutamento] nos perfis técnicos como manutenção, automação, robótica e programação", adianta Ana Silva, diretora de recursos humanos da empresa.

Tiago Sousa, representante da empresa Metaloviana, disse: "Estamos a viver um tempo de escassez de mão de obra, tanto qualificada como engenheiros civis, como de oficina, soldadores e serralheiros". Com 140 trabalhadores, a empresa do setor metalúrgico, necessita de "cerca de 20" para suprir as suas necessidades atuais. "O portal pode ajudar a captar", considera Tiago Sousa.

"Isto é o arranque. Necessitávamos de um elemento agregador, de um nó que nos agarrasse a todos a um objetivo comum, que de facto é que as empresas tenham condições de concretizar e levar a efeito os seus projetos industriais e empresariais. E naturalmente só o fazem com recursos humanos", declarou o autarca de Viana, Luís Nobre, referindo que a escassez de mão de obra que afeta aquele município "é transversal ao país".

Artur Jorge, consultor do projeto "Work in Viana", considera: "Hoje em dia não há nenhum sector que não tenha dificuldades em recrutar. Já perdemos alguns investimentos por causa disso". E adianta que o objetivo do portal é "lançar a bola para as empresas e para as instituições canalizarem informação, para nos ajudarem e a ajudarem-se a elas mesmas".

Segundo Bárbara Neto, da SparkelIT, o parceiro tecnológico da autarquia no projeto, descreve que o novo portal "é uma porta aberta entre as empresas e as pessoas que se queiram mobilizar para Viana do Castelo". Pode ser utilizado em português e inglês e está também disponível no Facebook, Instagram e Linkedin.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de