"Avaliação no fim." Marcelo revela que Governo anuncia esta sexta-feira medidas para evitar fogos

O Presidente da República pediu aos portugueses para evitarem comportamentos que possam provocar fogos.

Marcelo Rebelo de Sousa reconheceu que o país enfrentou, na última semana, uma realidade complicada devido à extensão do incêndio na Serra da Estrela, que envolveu vários municípios, e revelou que o Governo vai anunciar, esta sexta-feira, medidas para combater o risco de fogo que vai ser mais elevado nas próximas semanas com o aumento das temperaturas.

"São duas semanas difíceis na transição de agosto para setembro. O Governo também está permanentemente atento às populações. Isso implica medidas, em conjunto com os autarcas, para amenizar os efeitos danosos. Não vou antecipar as medidas, a função do Presidente da República não é essa", explicou Marcelo na sede da Proteção Civil.

Questionado sobre possíveis falhas no incêndio que se prolongou durante mais de uma semana e teve vários reacendimentos, o chefe de Estado afirmou que esse tipo de avaliação só vai ser feito no final do verão.

"Já vos disse que esse tipo de avaliação não deve ser feito durante a campanha. Acompanhei com muita atenção o percurso e eu próprio tive a noção de que era uma situação muito complexa, não apenas em termos meteorológicos mas orográficos. A Serra da Estrela tem necessidades especiais. Os autarcas, em muitas circunstâncias, tiveram de tomar decisões difíceis e, por precaução, abandonar as suas povoações para evitar riscos", justificou o Presidente da República.

Além disso, Marcelo apelou à responsabilidade dos portugueses para minimizarem o risco de incêndio num mês de setembro que se prevê "mais complicado" do que o habitual.

"Estamos a entrar numa nova fase, o que explica também porque aqui estou. Para agradecer aos portugueses, para analisar a transição da fase da Serra da Estrela para aquilo que vamos viver e para chamar a atenção de que as previsões meteorológicas dão para as próximas duas semanas uma situação menos positiva do que aquela que é vivida neste momento. Prevê-se um mês de setembro mais complicado do que o anterior, em temperatura, humidade e ventos. Os portugueses devem estar atentos a tudo aquilo que podem fazer para minimizarem os fatores de risco", acrescentou.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de