Costa só afasta Chega e diz que PSD "está mesmo disponível para ficar refém da extrema-direita"

Em Bragança, o secretário-geral do Partido Socialista disse que "a vontade dos portugueses é de que haja tranquilidade, paz e unidade".

Durante uma visita a Podence, em Bragança, António Costa expôs que o PS está disponível para se sentar na mesma mesa "com todos, com exceção do Chega", porque "não há nada a falar" com o partido.

Primeiro, António Costa explicou: "Já tínhamos percebido nos debates que Rui Rio tinha uma certa predisposição para piorar o programa do partido com as cedências que tinha de fazer à IL ou até ao CDS".

"O PSD está mesmo disponível para que o seu Governo fique refém da extrema-direita", continuou o secretário-geral do PS.

António Costa diz que "a vontade dos portugueses é de que haja tranquilidade, paz e unidade" para "continuar a avançar com o progresso do país".

Sobre Catarina Martins, Costa confessa que "tem pena" de não esta não "querer continuar sentada a conversar" porque, provavelmente teriam "poupado o país desta crise política".

Durante a manhã, Rui Rio aconselhou António Costa a seguir o "exemplo" do gato Zé Albino, que "consegue ser uma figura central da campanha e não perde uma única oportunidade de estar calado, é que não perde mesmo, e o doutor António Costa, às vezes, perde oportunidades de estar calado".

O líder do PS, por sua vez, respondeu que da última vez que tinha visto uma fotografia do gato de Rui Rio "ele estava deprimido" e António Costa, por sua vez, considera-se "tudo menos deprimido". Depois, completou ao referir que "está certo e confiante numa vitória do PS no domingo" e que o gato Zé Albino "se vai sentir menos só".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de