Governo disponibiliza 500 mil euros para agricultores afetados por incêndios

O novo despacho do Governo foi assinado na sexta-feira. Maria do Céu Antunes explica que este valor vai ajudar na alimentação dos animais, bem como na distribuição de açúcar pelos apicultores afetados.

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, anunciou este sábado que serão atribuídos 500 mil euros aos agricultores afetados pelos incêndios, através de novo despacho do Governo.

"Este despacho foi assinado ontem [sexta-feira] e atribui 500 mil euros aos agricultores afetados pelos incêndios para os ajudar na alimentação animal. Estamos também a distribuir açúcar pelos apicultores afetados, com a colaboração das direções regionais de agricultura", concretizou a governante na ExpoMocorvo, que decorre em Torre de Moncorvo.

Por outro lado, Maria do Céu Antunes disse ainda que foi prorrogado o prazo, a pedido das confederações [da lavoura], para a atribuição de cerca de 27 milhões de euros a setores como os da suinicultura, do leite, das aves e dos ovos.

Maria do Céu Antunes disse ainda que, na sequência de trabalho com as confederações, serão atribuídos, no âmbito do desenvolvimento rural e com verba do Orçamento de Estado de cerca de 57 milhões de euros, apoios a vários setores agrícolas, "seja a hortofloricultura, os pequenos ovinos, caprinos ou bovinos ou ainda a culturas temporárias, permanentes, de sequeiro ou regadio".

Segundo a ministra, são montantes que podem ajudar os agricultores no período pós Covid-19, com o problema da seca ou consequências da guerra na Ucrânia.

Outra das promessas deixadas pela ministra passa pela aposta em regadios coletivos e mais eficientes na região transmontana, em articulação com os autarcas locais.

Ao nível dos apoios às raças autóctones, Maria do Céu Antunes, deixou a garantia de que no próximo ciclo de investimentos haverá um aumento de cerca de 60% aos produtores.

"Atualmente, as raças autóctones têm um apoio de 15 euros por animal, e o qual passará no próximo ciclo de investimentos para os 24 euros por cabeça", disse.

Para o autarca de Torre de Moncorvo, Nuno Gonçalves, estas medidas anunciadas durante a Expomoncorvo são bem-vindas, "mas não se podem perder nas teias da burocracia, já que se trata de um território de população envelhecida".

A ExpoMoncorvo decorre ao longo de todo o fim de semana e junta uma centena de expositores, com destaque para a agropecuária e raças autóctones.

"É uma quantia ridícula"

O presidente da Câmara Municipal de Gouveia, Luís Tadeu Marques, garante que a autarquia já disponibilizou subsídios para ajudar os agricultores, mas avalia o apoio anunciado pela ministra como insuficiente.

"Hoje de manhã tivemos em Gouveia a entrega de diferentes subsídios a criadores de ovinos e caprinos e muitos deles tiveram prejuízos decorrentes dos incêndios e que antes fizeram a referência. Na segunda-feira vamos para o terreno para fazer o levantamento dos prejuízos de cada um desses agricultores, para termos a relação completa, ou mais exaustiva possível, desse tipo de prejuízos", afirma o autarca em declarações à TSF.

E reforça: "Neste momento, não podemos ainda avaliar, mas em breve teremos um levantamento do tipo de prejuízos que tiveram e a sua expressão financeira, para depois fazer chegar ao Ministério da Agricultura. Agora, 500 mil euros não dá para nada. É uma quantia ridícula."

Notícia atualizada às 17h00

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de