"Nos antípodas do comunismo", Montenegro destaca "simplicidade e urbanidade" de Jerónimo de Sousa

Montenegro escreve que "sempre apreciou a simplicidade e urbanidade" do líder do PCP cessante.

Depois de anunciada a saída de Jerónimo de Sousa como secretário-geral do PCP, ao fim de 18 anos, o presidente do PSD foi o primeiro líder partidário a pronunciar-se. Luís Montenegro sublinha que "está nos antípodas do comunismo", mas revela admiração por Jerónimo de Sousa.

No Twitter, Montenegro escreve que "sempre apreciou a simplicidade e urbanidade" do líder do PCP cessante "sempre com simpatia pessoal e lealdade no combate político".

"Estou nos antípodas do comunismo. Mas respeito democraticamente os seus "crentes". No caso de Jerónimo de Sousa, sempre apreciei a sua simplicidade e urbanidade. Sempre me emprestou simpatia pessoal e lealdade no combate político", escreve o líder do PSD.

Luís Montenegro termina a mensagem a desejar "felicidades pessoais e familiares" a Jerónimo de Sousa, que anunciou a saída da liderança do PCP "no prosseguimento de uma avaliação própria, refletindo sobre a sua situação de saúde e as exigências correspondentes às responsabilidades que assume".

Para o lugar do histórico dirigente comunista, entra Paulo Raimundo, "de uma geração mais jovem, com um percurso de vida marcado por uma experiência diversificada", como destaca o partido em comunicado.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de