PSD oferece viagens a Bruxelas em troca de assinaturas para petição pública

"Hospital Central do Algarve Já" é o documento que pretende reunir 7500 subscritores.

O PSD considera que a construção do Hospital Central mobiliza toda uma região. No entanto, até agora, a petição que foi lançada na Festa do Pontal, em agosto, na rentrée política do partido, só conseguiu reunir cerca de 1500 assinaturas. Por esse motivo, para levar os cidadãos a empenhar-se mais no assunto promete dar-lhes um prémio. Quem conseguir reunir o maior número de assinaturas poderá ter uma viagem a Bruxelas, ao Parlamento Europeu, que inclui também alojamento. No total, o PSD oferece cinco viagens.

Cristóvão Norte, presidente da comissão politica distrital do PSD e o primeiro subscritor desta petição, lembra que a luta pela construção do hospital Central do Algarve já vem de longe. "O Hospital do Algarve era a segunda prioridade nacional na construção de hospitais, foram iniciados cinco hospitais e o Algarve, que tem um dos piores índices de cuidados de saúde do país, ficou para trás", recorda. "Se isto é uma matéria que é estruturante para a região, então com este desafio aquilo que queremos fazer é premiar aqueles que se empenharem nesta causa", adianta. Para que a petição seja debatida na Assembleia da República precisa de 7500 subscritores.

Segundo o líder do PSD Algarve, as viagens para Bruxelas, marcadas entre os dias 28 e 30 de novembro, serão atribuídas independentemente de o premiado ser militante do PSD ou não.

Cristóvão Norte lembra que também foi um dos subscritores da petição para criar o curso de medicina no Algarve, um documento que conseguiu dez mil assinaturas. Por esse motivo, sabe que não é fácil os cidadãos envolverem-se. "É um trabalho muito exigente", admite. "Em tese, as pessoas são favoráveis ao Hospital Central do Algarve, como sabemos", acredita. "Mas é preciso assinarem e tomarem a iniciativa", acrescenta.

Segundo é referido na petição, desde 2003 que aquele hospital é considerado "uma infraestrutura fundamental" por "todos os governos, sem exceção, partidos, deputados, autarcas, ordens, sindicatos, entre outros".

"Este adiamento é altamente lesivo dos interesses da região e dos algarvios, mas também do país", sublinha a petição.

O processo remonta a 2002 e, uns anos mais tarde, o ex-primeiro ministro José Sócrates chegou a lançar a primeira pedra da obra, sem que ela tenha avançado. Em 2011, quando Pedro Passos Coelho assume o cargo de primeiro-ministro, a Parceria Público Privada, que estava a ser criada entre o Estado e a construtora vencedora do concurso, ficou suspensa. O governo do PSD alegou não ter dinheiro para construir o Hospital.

Mais recentemente, em maio deste ano, a comissão de Orçamento e Finanças aprovou por unanimidade uma proposta dos deputados socialistas da região para que o Governo adotasse até ao final deste mês de setembro as diligências que assegurassem a construção do Hospital do Algarve. Até agora nada avançou.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de