Alto Minho reduziu perdas de água na rede pública mas teme efeitos da seca

Segundo o "Relatório anual dos serviços de águas e resíduos em Portugal 2020", da Entidade Reguladora dos Serviços de Água e de Resíduos, cerca de 28,8% da água que entra nas redes de distribuição a nível nacional perde-se.

A empresa Águas do Alto Minho (AdAM), que em janeiro de 2020 assumiu a gestão do sistema de abastecimento em sete municípios daquela região, garante que o problema das elevadas perdas de água na rede pública está a ser debelado. O administrador da AdAM, João Neves, refere como exemplo o concelho de Vila Nova de Cerveira, onde nesse ano a água perdida atingiu 61,5 por cento, segundo o "Relatório anual dos serviços de águas e resíduos em Portugal 2020", da Entidade Reguladora dos Serviços de Água e de Resíduos (ERSAR). E que registou uma evolução positiva no ano seguinte (2021) para valores a rondar os "47 por cento", em consequência de intervenções feitas pela empresa no terreno. Não descura, contudo, a preocupação com eventuais efeitos futuros da seca.

"Temos neste momento adjudicados cerca de 14 milhões de euros de medidas de eficiência hídrica, dos quais oito milhões dizem respeito a criação de zonas de monitorização, controlo e redução de pressões da rede, e telegestão dos consumos em tempo real. Os restantes seis milhões dizem respeito a renovação de redes", declarou à TSF, referindo: "Estas medidas começam a dar alguns frutos. Nota-se, por exemplo em Cerveira. Reduzimos essas perdas para 47 por centos e em 2022 esperamos ter resultados ainda melhores, não só em Cerveira mas nos outros seis municípios que constituem a parceria."

Recorde-se que a AdAM agrega os municípios de Arcos de Valdevez, Caminha, Paredes de Coura, Valença, Viana do Castelo, Vila Nova de Cerveira e Ponte de Lima. A empresa foi constituída há cerca de dois anos, tendo como acionistas a Águas de Portugal (51 por cento) e sete dos dez concelhos alto minhotos (49 por cento). Os municípios de Ponte da Barca, Monção e Melgaço, recusaram a sua integração.

Segundo o "Relatório anual dos serviços de águas e resíduos em Portugal 2020", da ERSAR, cerca de 28,8 por cento da água que entra nas redes de distribuição a nível nacional perde-se.

Entre os municípios alto-minhotos com maior percentagem de água não faturada está Vila Nova de Cerveira, mas por outro lado Viana do Castelo está entre os que apresentam perdas mais baixas (16,8%).

"As perdas reais de água nos municípios do Alto Minho foram uma das razões que os levaram a aderir a uma parceria, que tivesse capacidade de investimento para as reduzir", defende João Neves, indicando como fatores relevantes para os elevados valores de perda de água "o estado de conservação das redes". "Tem a ver com fugas que existem nos sistemas, nas tubagens, nos reservatórios e redes. Neste momento todos os dias encontramos nos sete municípios fugas na rede e fazemos a reparação. É uma atividade diária e rotineira que teremos ao longo do ano para reduzir a percentagem de água não faturada", disse.

Segundo João Neves, a seca ainda não estará a ter impacto no sistema de abastecimento da AdAM, mas "veio tornar mais visível o cuidado que se tem de ter com a gestão da água".

"Por agora não temos situações que nos tragam maior preocupação, mas olhamos para isto com alguma apreensão porque ainda temos muitos meses pela frente e as reservas estão muito abaixo do que é normal para esta altura do ano e, portanto, temos mesmo que poupar água", concluiu.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de