Carlos Cortes é candidato a bastonário da Ordem dos Médicos e quer ser protagonista

O atual presidente da secção regional do Centro da Ordem dos Médicos, admite que há desmotivação dos médicos do SNS. Carlos Cortes diz, numa entrevista à TSF, que tem orgulho no trabalho feito com os dois últimos bastonários.

O médico patologista Carlos Cortes, que ser bastonário da ordem dos médicos., mas admite que a classe anda desmotivada.

A falta de capacidade de muitos serviços é a razão principal desta desmotivação, que leva os médicos "a sair para o privado, ou para a emigração", confirma o médico que é o atual presidente da secção regional do Centro da Ordem dos Médicos.

Nasceu em Lisboa, estudou e mora em Coimbra, e é diretor de serviço de Patologia clínica no Centro Hospitalar do Médio Tejo, que junta os hospitais de Torres Novas, Abrantes e Tomar.

Diz que a Ordem dos Médicos foi, nos anos de pandemia, "um exemplo de eficácia".

Como bastonário, se for eleito, Carlos Cortes quer que a ordem contribua com soluções para os problemas do Serviço Nacional de Saúde, mas também "um provedor do utente", "um promotor da saúde", e "um defensor dos médicos".

Carlos Cortes, é um dos cinco candidatos a bastonário, a pensar nas eleições do início do próximo ano, marcadas para a segunda semana de janeiro.

São ainda candidatos, já anunciados, Rui Nunes, Fausto Pinto, Jaime Branco e Bruno Maia.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de