Governo lamenta morte de militar da GNR em acidente

O acidente em que o militar perdeu a vida causou ainda um ferido ligeiro e um ferido grave.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, lamentou, este sábado, a morte do militar da Guarda Nacional Republicana (GNR) vítima de um acidente de viação, em serviço, na zona do autódromo internacional de Portimão.

"Foi com profundo pesar que tomei conhecimento da morte do primeiro-sargento João Fernandes, 45 anos, do Destacamento de Trânsito de Faro da Guarda Nacional Republicana, vítima de um acidente de viação em serviço na zona do autódromo internacional de Portimão e de que resultou ainda um ferido grave", disse o ministro, numa nota à imprensa.

"Neste trágico momento, em meu nome pessoal e do Governo, endereço os meus mais sentidos pêsames à sua família, aos amigos e à Guarda Nacional Republicana, a quem aproveito para enaltecer o esforço permanente e o profissionalismo dos seus militares para garantir a segurança das populações", acrescenta Eduardo Cabrita.

Um militar da GNR morreu, este sábado, em serviço, num acidente de viação, na zona do autódromo internacional de Portimão, que resultou ainda num ferido grave, segundo um comunicado da GNR.

O acidente ocorreu cerca das 20h00, na estrada que dá acesso ao Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, entre um motociclo da GNR em serviço na segurança da prova de MotoGP e uma viatura ligeira de passageiros.

Segundo o comunicado, o acidente causou um ferido ligeiro e um ferido grave, respetivamente condutor e passageiro da viatura ligeira de passageiros, bem como a morte do militar da GNR.

"Neste momento de luto para toda a família da Guarda Nacional Republicana, endereçam-se os sentidos pêsames e apoio à família do nosso militar", pode ler-se no comunicado.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de