Governo sem condições de pagar apoio à Covid aos municípios, central de Zaporijia sem energia e outros destaques TSF

Um total de 156 milhões de euros é reivindicado pelos municípios ao Governo como o total de gastos que tiveram no combate à Covid-19, segundo uma avaliação do Tribunal de Contas.

O Governo anunciou que não tem condições para pagar os 156 milhões de euros reivindicados pelos municípios como despesa no combate à Covid-19. Em declarações à TSF, Jorge Veloso, presidente da ANAFRE, fala numa injustiça e lamenta que mais uma vez as freguesias fiquem esquecidas. Luísa Salgueiro, da ANMP, confessa que a organização vai manter reivindicação e que compete ao governo encontrar outro mecanismo para pagar as verbas.

Em resposta, ministra da Coesão salientou que o Orçamento para 2023 distribui mais 400 milhões de euros pelas autarquias do que o anterior, mas não chega para reivindicações dos municípios, como o fim do corte nos vencimentos dos autarcas.

Na Guerra na Ucrânia, a central nuclear de Zaporijia ficou completamente sem energia depois do bombardeamento russo na quarta-feira. As unidades de potência número 5 e número 6, que estavam ativas, estão atualmente em processo de desativação, após os bombardeamentos, acrescentou Energoatom.

A quebra de energia acontece no mesmo dia em que partiram de portos ucranianos seis navios carregados de cereais rumo à Turquia. Os navios vão utilizar o corredor humanitário seguro no mar Negro, rota que já permitiu a exportação de 9,7 milhões de toneladas de cereais e outros produtos agrícolas da Ucrânia.

A Operação "Censos Sénior 2022", que decorreu em outubro, concluiu que 44.500 idosos vivem sozinhos e/ou isolados, ou em situação de vulnerabilidade, foram sinalizados pela GNR. Os distritos de Vila Real, Guarda, Viseu, Faro, Bragança, Beja, Portalegre e Évora foram os distritos nos quais mais idosos foram sinalizados.

Um estudo publicado no British Medical Journal mostra que a "transmissão pré-sintomática" do Monkeypox, cujos sintomas são caracterizados principalmente por erupções cutâneas, parece "considerável".

O empresário Elon Musk está a planear demitir até metade dos 7500 funcionários da rede social Twitter, segundo pessoas ligadas à compra da empresa digital, como parte do corte planeado de custos. O bilionário pretende cortar cerca de 3700 postos de trabalho da empresa digital adquirida por 44 mil milhões de dólares.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de