Lisboa disponibiliza apoio a cidadãos retidos e alojamento para refugiados

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, afirma que "Lisboa está realmente com Kiev, com a Ucrânia, com o povo ucraniano".

A Câmara de Lisboa vai abrir o refeitório municipal de Monsanto para apoiar ucranianos retidos na cidade e criar um centro de acolhimento de emergência para refugiados da Ucrânia num pavilhão da Polícia Municipal.

Para todos os ucranianos que precisam de ajuda e para todos os que querem ajuda, o município tem disponível a partir de agora uma linha telefónica 800 910 111 e o endereço de email sosucrania@cm-lisboa.pt, indicou o presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas (PSD), numa conferência de imprensa conjunta com a embaixadora da Ucrânia, Inna Ohnivets.

"Lisboa está realmente com Kiev, com a Ucrânia, com o povo ucraniano", afirmou Carlos Moedas, referindo que o sentimento de solidariedade "é tão forte": "Com o coração dos lisboetas, queremos ajudar em tudo aquilo que seja necessário, não podemos ter essa hesitação".

O plano de solidariedade da cidade de Lisboa, centralizado na Câmara Municipal e que inclui as 24 juntas de freguesia lisboetas, divide-se em duas fases, em que a primeira passa por "dar um apoio imediato de alimentação, alojamento, vestuário, medicação e apoio psicossocial" aos ucranianos retidos na capital portuguesa, que se estima serem cerca de 50.

A segunda fase, implementada em coordenação com a embaixada da Ucrânia em Portugal, prevê a construção de "um centro de acolhimento de emergência para refugiados num pavilhão desportivo na sede da Polícia Municipal de Lisboa", na zona da Praça de Espanha, e que assim que for necessário estará pronto no máximo de 72 horas.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de