Mais de uma centena de militares apoiam rescaldo do incêndio na Covilhã

São seis os pelotões do Exército que estão empenhados naquela localidade, num total de 114 militares.

Mais de uma centena de militares do Exército estão a partir desta sexta-feira no terreno para apoiar o rescaldo e vigilância ativa pós-incêndio em Teixoso, na Covilhã, anunciou o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

De acordo com o comunicado do EMGFA, são seis pelotões do Exército que estão empenhados naquela localidade, num total de 114 militares.

"Na mesma localidade, um destacamento de engenharia, com uma máquina de rasto, da Força Aérea, prossegue os trabalhos de apoio à abertura de caminhos que facilitem o acesso dos operacionais, bem como a criação de faixas corta-fogo, que permitem que os incêndios não se propaguem", acrescenta o mesmo comunicado.

Estes trabalhos em Teixoso, Covilhã, estão a ser feitos na sequência de um pedido da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) ao EMGFA.

Na quinta-feira, o comandante nacional da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), André Fernandes, referiu que no município da Covilhã, o principal objetivo era manter os meios em vigilância ativa na Estrada Municipal 501 entre Teixoso e Verdelhos, de forma a impedir que nesta zona, identificada como um ponto quente e preocupante, fosse combatida qualquer reativação, caso se confirmassem as previsões de mudança do vento para o quadrante nordeste para a tarde de quinta-feira, e também consolidar zonas em Teixoso e Orjais.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de