O fim das máscaras, abrigos ilegais de animais e outros destaques da manhã TSF

O autoagendamento da vacinação contra a Covid-19 para jovens com 12 a 17 anos, reaberto esta quinta-feira, vai continuar até sábado.

As férias estão na origem. O autoagendamento da vacinação contra a Covid-19 para jovens com 12 a 17 anos, reaberto esta quinta-feira, vai continuar até sábado. O agendamento extraordinário foi adotado porque a adesão dos jovens ficou abaixo das expectativas, admitiu a diretora-geral da Saúde. "O autoagendamento no período normal, porque estará muita gente de férias, em princípio, não teve a adesão que nós gostaríamos, e, portanto, há que adaptar as estratégias", revelou Graça Freitas, ouvida pela RTP.

Tendo em conta a elevada taxa de vacinação e a imunidade natural, conseguida através das pessoas infetadas com Covid-19, o virologista Pedro Simas defende que não faz sentido "insistir no uso das máscaras, na população em geral, para mitigar incidência possível de infeções respiratórias de outros vírus. Temos que ser inteligentes e usar a máscara e outras medidas de prevenção se houver maior incidência de outros vírus respiratórios na população de risco. Sou a favor que na população em geral se comece a retirar as máscaras e nada melhor do que começar pelo exterior."

As despesas com livros escolares podem contar para o IRS e para o programa IVAucher. O Ministério das Finanças confirma ao jornal Público que os dois benefícios podem ser acumulados. No entanto, estes manuais e livros escolares têm de ser comprados até ao final do mês. Só até 31 de agosto, as faturas com este material escolar podem beneficiar do IVAucher.

A provedora do animal considera urgente identificar os abrigos ilegais espalhados por todo o país e acompanhar a situação destes animais que estão em acolhimento clandestino e nos Centros de Recolha Oficial dos municípios. Laurentina Pedroso defende, em declarações à TSF, que os autarcas têm um papel fundamental e não podem continuar alheados da realidade, um dia depois de o Ministério do Ambiente ter revelado que foi aberto um inquérito administrativo, pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, para que sejam apuradas as circunstâncias em que permanecia aberto um abrigo ilegal em Vila Real de Santo António, no qual morreram mais de uma dezena de animais queimados.

Mais de 650 operacionais combatem o fogo que começou na quarta-feira no concelho de Odemira, distrito de Beja, e entrou na zona de Monchique, no Algarve, começando a ver-se resultados, disse à Lusa fonte da Proteção Civil. A noite ajudou os bombeiros, mas Miguel Oliveira, oficial de operações do Comando Nacional de Operações de Socorro, diz que ainda há muito trabalho pela frente.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de