O futuro do PSD, inflação com novo máximo na OCDE e outros destaques TSF

Paulo Rangel estará a ponderar sobre a recandidatura à presidência dos sociais-democratas. Por outro lado, António Leitão Amaro, antigo secretário de Estado que esteve ao lado de Paulo Rangel nas diretas contra Rui Rio, defende que ainda não é chegado o momento de discutir nomes para a liderança.

Entre os assuntos que marcaram a manhã desta quinta-feira está a definição do futuro do PSD. Da reunião com a Comissão Política Nacional deverá sair uma data para o Conselho Nacional, o órgão máximo entre congressos, onde aí sim são definidos os prazos para a saída de Rui Rio. A certeza para já é só uma: o presidente do PSD aposta numa transição suave e quer toda a gente na mesma página.

Paulo Rangel estará a ponderar recandidatar-se à presidência dos sociais-democratas. Num artigo no jornal Público, o eurodeputado não fala sobre o tema, mas define três desafios para um futuro radioso do PSD. Já António Leitão Amaro, antigo secretário de Estado que esteve ao lado de Paulo Rangel nas diretas contra Rui Rio, defendeu na TSF que ainda não é chegado o momento de discutir nomes para a liderança.

Destaque ainda para a inflação na zona OCDE que cresceu para 6,6% em dezembro de 2021, atingindo a taxa mais alta desde julho de 1991, segundo um relatório revelado pela organização. O aumento deve-se, em parte, ao crescimento da inflação na Turquia (36,1% em dezembro). Ao excluir o país, a inflação aumentou de forma mais moderada, com 5,6%.

Também na ordem do dia continua a pandemia de Covid-19. De acordo com a OMS, a Europa pode entrar, em breve, "num longo período de tranquilidade" graças às elevadas taxas de vacinação, à menor agressividade da Ómicron e ao fim do inverno.

O alerta é do presidente do Instituto Português de Oncologia de Lisboa. Se a construção do novo edifício de ambulatório não avançar, "a globalidade da prática" da instituição vai ficar em perigo. Em entrevista à agência Lusa, a propósito do Dia Mundial da Luta Contra o Cancro, que se assinala a 4 de fevereiro, João Oliveira lamentou que a construção do novo edifício do IPO não estivesse prevista no Orçamento do Estado para 2022, que foi chumbado e levou à dissolução da Assembleia da República. A despesa do Instituto Português de Oncologia de Lisboa com medicamentos aumentou 50% nos últimos três anos, representando atualmente cerca de dois terços dos gastos da instituição.

Por fim, mais um caso positivo de Covid-19 no Benfica. João Mário é o mais recente caso e deve falhar, pelo menos, o próximo encontro do Benfica, numa deslocação a Tondela, na próxima segunda-feira.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de