Quase 20 mil infrações em seis meses. Crimes nas estradas ultrapassam período pré-pandemia

A grande maioria das infrações está relacionada com o excesso de álcool.

O número de crimes nas estradas já é, este ano, superior ao período pré-pandemia. De acordo com os dados recolhidos pela Jornal de Notícias (JN), entre janeiro e junho registaram-se quase 20 mil infrações, sendo a grande maioria relacionada com o excesso de álcool.

Quase 4700 pessoas foram apanhadas ao volante com taxas de alcoolemia acima de 1,2 gramas por litro de sangue. O número quase duplica os valores de 2021 e supera mesmo os 4100 crimes por excesso de álcool registados nos primeiros seis meses de 2019, escreve esta quinta-feira o JN, citando dados da GNR e da PSP.

Em declarações ao JN, a psicóloga Ana Nunes da Silva diz que, apesar de uma rápida associação às menores restrições relacionadas com a pandemia não há, ainda, dados que permitam associar o aumento do consumo com o desconfinamento.

A GNR adianta que os distritos onde há mais crimes na estrada por excesso de álcool são Aveiro, Porto, Faro e Setúbal. As autoridades indicam ainda que no primeiro semestre detetaram perto de 3800 pessoas a conduzir sem habilitação legal, menos do que no ano passado, mas mais do que as 2600 apanhadas sem carta em 2019.

Feitas as contas aos primeiros seis meses do ano, até ao final de junho, a PSP e a GNR registaram quase 20 mil crimes nas estradas, mais cinco mil do que há três anos.

Também ouvido pelo JN, o diretor-geral da Prevenção Rodoviária considera preocupante esta subida, mas Alan Areal sublinha que é necessário cruzar os dados com os índices de fiscalização, ou seja, comparar o número de infrações com o número de veículos fiscalizados.

O último relatório da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária indica que nos primeiros três meses do ano, a Taxa de Fiscalização registou uma redução de 20 por cento em comparação com o ano passado.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de