"Sinergias e novas parcerias." Governo vai criar task force para aproveitar recursos do mar

Secretário de Estado do Mar garantiu que o Executivo quer aproximar as áreas de inovação e conhecimento da economia para aproveitar, de forma sustentável, todos os recursos.

O secretário de Estado do Mar, José Maria Costa, subscreveu esta terça-feira, no Fórum TSF, as palavras do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que na segunda-feira, durante a cerimónia de entrega do Prémio Pessoa 2021, apontou a Conferência dos Oceanos, que se realiza em junho, como uma oportunidade única para Portugal concretizar esse objetivo de defender o "desígnio do mar".

José Maria Costa garantiu que o Executivo quer aproximar as áreas de inovação e conhecimento da economia para aproveitar, de forma sustentável, todos os recursos que o mar oferece e, para isso, vai criar uma task force.

"É uma iniciativa de agregação que consiste, no fundo, na constituição de grupos de trabalho para podermos avançar naquilo que são áreas relevantes e que têm a ver com a bioeconomia azul, as energias renováveis oceânicas, a biodiversidade, o shipping, turismo e turismo azul, que é tão importante. É um trabalho que vamos fazer de envolvimento dos parceiros, das instituições, do meio científico, das associações empresariais e também da Marinha portuguesa de força a que possamos, em conjunto, criar sinergias, constituir novas parcerias. Acima de tudo para sinalizarmos projetos e iniciativas que possam fazer com que Portugal tenha um projeto e uma vocação marítima mais forte e mais sustentável", explicou à TSF José Maria Costa.

O secretário de Estado do Mar sublinhou ainda que o Governo está empenhado em concretizar a estratégia nacional para o mar 2021-2030 e lembra que Portugal tem, sob sua jurisdição, cerca de 50% das águas do mar da Europa e, se se concretizar o alargamento da plataforma oceânica, ficará com igual jurisdição dos solos e sub-solos marinhos.

Já a Fórum Oceano - Associação da Economia do Mar lembra que o país tem à disposição uma imensa riqueza que tem de saber aproveitar. Ruben Eiras, secretário-geral da associação, defende que os milhões do Plano de Recuperação e Resiliência permitem reduzir os custos de contexto das empresas que apostem nessa área e abrir caminho à inovação e diversificação de negócios.

"É, efetivamente, um mega setor, feito a partir de outros setores: pesca, aquacultura, transportes, portos e turismo, sem esquecer a dimensão da defesa", acrescentou Ruben Eiras.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de