TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

Caráter mirandês

O burgo mirandês, alcandorado nas arribas da margem direita que traçam o percurso internacional do Douro, mantém características únicas impregnadas de tradições alimentadas por séculos de história.

Miranda do Douro é um rincão transmontano do extremo nordeste, cidade desde o reinado de D. João III e sede de um concelho onde vale a pena visitar os miradouros de Fraga do Puio, em Picote, e da Penha das Torres, o ponto mais oriental de Portugal e onde se avista o Douro a entrar em território nacional, a curta distância de Paradela.

Das 13 freguesias mirandesas, algumas têm nomes curiosos: Bila Chana de Braciosa; Silba i Augas Bibas; bal de Mira.

São topónimos em mirandês, a língua local cuja musicalidade das palavras se confunde com o som das gaitas de fole, das flautas e das castanholas, que ecoam a cada passo nas ruas do preservado centro histórico.

É «um cachico de cielo na tierra», «um bocadinho de céu na terra» esta região onde a gastronomia é outro património.

Mais afastado do centro da urbe, onde o irmão mais velho mantém estatuto de clássico junto à cidadela, O Mirandês-2, na urbanização do Juncal, à entrada da cidade é um restaurante regido por idênticos padrões.

Integrado numa unidade hoteleira moderna e com liderança do chefe José Miguel, é um espaço amplo, com duas salas, ambas muito funcionais, divididas pela cozinha e sem grandes atributos decorativos. Tudo simples.

Na ementa, os pratos de bacalhaus., tão apreciados pelos vizinhos espanhóis, e a tradicional posta mirandesa integram o capítulo das especialidades da casa.

Nas entradas, perfilam-se espargos com maionese; a tradicional alheira e ovos mexidos com tomate.

Nos pratos de peixe, o bacalhau asado, acompanhado com pimentos e farta cebolada, justificou a preferência face às opções frito e dourado, esta muito do agrado da clientela espanhola e que mais não é do que o tradicional à Brás.

Pescada à moleira; em filetes; grelhada ou na caçarola são alternativas.

Nas carnes, a escolha foi inevitável e incidiu na posta à Mirandês. Escolha mais do que acertada: carne de irrepreensível qualidade, muito macia e saborosa, grelhada no ponto.

A carne mirandesa, um produto de excelência da região, está, de resto, bem presente no capítulo mais vasto da carta, onde há propostas de bifes, incluindo na caçarola.

Escalopes e costeleta ou churrasco de vitela são outras escolhas.

O cordeiro na brasa também é sugestão muito apreciada, destacando-se entre opções mais triviais.

Para finalizar, torta de laranja ou pudim de ovos.

Carta de vinhos suficiente. Serviço simpático neste restaurante com um apreciado padrão tradicional.

O Mirandês-2 em Miranda do Douro.

Localização: Miranda do Douro

Contacto: 273 431 418

GPS: 41.66487 N ; -6.20715 W

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de