Uma questão de ADN

Podem ser irmãos, avós e netos, pais e filhos, companheiros, marido e mulher... São pessoas da mesma família que se juntam para uma conversa em que se fala de tudo. São percursos de vida e testemunhos que atravessam diferentes gerações. O que os une para lá do apelido, o que os separa para lá da diferença de idades.
Quarta-feira, depois das 13h00. Repete ao domingo, após as 14h00. Com Teresa Dias Mendes

"Por mares nunca dantes navegados." Uma Questão de ADN com José Pedro Castanheira e Afonso Castanheira

"O mar não cabe num filme, sentenciou, pleno de razão e já refeito do susto, o comandante. Num Diário também não."

O mar é o dos Açores e o Diário de Bordo vai indo com as marés duma viagem para não esquecer. Assim nos apresenta José Pedro Castanheira o relato da aventura num barco à vela, um sonho com mais de 40 anos, desde que o jornalista pisara o arquipélago pela primeira vez, em 1980.

"Volta aos Açores em 15 dias" é o que hoje nos faz soltar amarras com pai e filho, dois dos cinco marinheiros duma volta planeada para o mês de maio - adiada desde 2020 por causa da pandemia, crentes na bonança dos boletins meteorológicos para essa altura do ano. Ora, quem vive nos Açores sabe o que sabe e não é à toa que o prefácio do amigo Onésimo Teotónio Almeida o pontua: "Quem vive nas ilhas sabe que não há Santo Cristo ou Espírito Santo ou moderna tecnologia que permita prever, prevenir ou precaver contra todos os imprevistos, temporais e ciclones."

E houve temporal, enjoos e velas rasgadas pelo vento, alterações de rota, um telemóvel no fundo do mar, tremores, humores e aventura cujo relato podemos escutar folheando as páginas deste Diário de Bordo (Tinta da China), cujo escriba é José Pedro Castanheira.

Pela primeira vez o jornalista atreve-se numa incursão literária fora dos quadros do ofício, de que se reformou entretanto, mas como nos diz numas páginas adiante da conversa, "nunca se deixa de ser jornalista".

Com ele viajaram o comandante João Blasques, Nuno, Nuninho e Afonso, o filho mais novo de José Pedro Castanheira, o Barba Azul, como é conhecido, porque usa mesmo Barba Azul.

Músico, escultor, ativista dos mares e da natureza e fundador da Associação @mestres.do.oceano, Afonso é um dos cinco tripulantes desta viagem pelos Açores que dá lastro ao embarque na rádio.

E "partiram felizes e lampeiros..." Há conversa à vista com José Pedro Castanheira e Afonso Castanheira em Uma Questão de ADN.

CONSULTE AQUI TODAS AS EDIÇÕES DE UMA QUESTÃO DE ADN

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de