Criação de comandos sub-regionais é "uma barafunda autêntica"

Criação de comandos sub-regionais é "uma barafunda autêntica"

Entrou esta semana em vigor a estrutura com 23 comandos sub-regionais de operações de socorro, coincidentes com as comunidades intermunicipais (CIM). Muito crítico de uma mudança que cria diferentes níveis territoriais, desagregados dos planos de emergência, António Nunes assegura que muitas CIM ainda não têm sequer salas de operações e não foi dada informação sobre quem são os comandantes. Sublinha que os bombeiros têm vindo a ser sugados pela proteção civil, que o modelo de voluntariado tem de ser revisto e que é indigno que haja corporações obrigadas a fazer peditórios por falta de um modelo claro de contratualização e financiamento.

D. Américo Aguiar: "O problema no joelho do Papa não impede que venha a Lisboa"

"O problema no joelho do Papa não impede que venha a Lisboa"

Poucos dias depois de notícias sobre a carta de renúncia do Papa Francisco terem reacendido dúvidas sobre a sua saúde, D. Américo Aguiar assegura que ele estará em Lisboa em 2023. Já com 300 mil inscritos e a apontar, no cenário em alta, para o "número mágico" de um milhão de participantes, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) espera contribuir para aproximar a Igreja da geração nativa digital. A maior preocupação é a "dona inflação", que pode fazer disparar os custos com refeições. Uma entrevista em tempo de crise, feita na condição de deixar de fora o tema dos abusos sexuais.

António Carmona RodrigueS

"É surreal que o Plano Diretor Municipal de Lisboa preveja habitação em caves"

Foi com António Carmona Rodrigues que começou a ser preparado o Plano Geral de Drenagem de Lisboa, que tanta discussão causou em dias de inundações na capital lisboeta. O ex-autarca e ex-ministro admite que a construção dos túneis exige avultados recursos financeiros e que muitos autarcas não se preocupam com obras invisíveis e que não enchem o olho em tempo de eleições. Crítico da posição de Luís Montenegro sobre a regionalização, deixa, ainda, um conselho a Carlos Moedas: propor já a revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) de Lisboa.

Fernando Alfaiate: "A reprogramação adicional do PRR terá cerca de 2300 milhões de euros"

"A reprogramação adicional do PRR terá cerca de 2300 milhões de euros"

A reprogramação do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) avança já em janeiro e inclui um valor adicional de 2300 milhões de euros para Portugal. Há prazos de execução que poderão ser dilatados, mas o horizonte final do PRR mantém-se em 2026. Fernando Alfaiate, que coordena a gestão, espera que dentro de dias chegue a aprovação europeia do segundo cheque e sacode as críticas de lentidão. Admite, no entanto, que o setor da construção é o mais frágil e exposto ao contexto inflacionário.